PUBLICIDADE
Notícias

Três homens são presos com R$1,7 milhão em cédulas falsas no Benfica

Grupo tentaria trocar quantia falsa por R$500 mil em cédulas verdadeiras

18:14 | 14/04/2016
NULL
NULL
A Polícia Civil prendeu na noite de ontem na Praça da Gentilândia (bairro Benfica) três homens portando R$1,7 milhão em cédulas falsas. Francisco Ilanio Bandeira Silva, 51, José Dias, 60, e Francisco Monteiro (conhecido como Cléber), 65, foram presos com duas malas contendo 21 maços de notas de R$100.

Dos três homens presos, apenas Francsico Monteiro tinha antecedentes criminais, respondendo a três procedimento por roubo e outros dois por estelionato. Francisco Monteiro confessou ainda que ele era o responsável pelo dinheiro falso, enquanto os outros dois apenas carregavam as malas.

De acordo com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os três confessaram a prática ilegal e afirmaram que o dinheiro era oriundo de Recife.

O grupo confessou ainda que R$2 milhões em notas falsas seriam trocados por R$500 mil. De acordo com Romério Almeida, titular do 34º DP, o grupo costumava cometer o crime em várias cidades do Nordeste, principalmente oferecendo a comerciantes a troca do dinheiro falso. Eles vão responder pelos artigos 171 (estelionato) e 288 (associação criminosa) do Código Penal.

"Muitas vezes, é um dolo de dois lados, pois algumas das pessoas sabiam que o dinheiro era falso. Outras se deslumbram com a quantidade de dinheiro e não comunicam as autoridades", explica Romério Almeida.

"Eles agiam em todo o Nordeste. Estavam em Alagoas e Piauí antes de vir para cá. O sujeito conhecido como Cléber já é um senhor de 65 anos que está há muito tempo aplicando esse tipo de golpe", complementa o delegado.

Um quarto suspeito estava em um carro próximo ao local da ação e conseguiu fugir. Segundo Romério Almeida, diligências estão sendo realizadas para encontrar esse outro integrante do grupo.

Um homem de Alagoas - cuja identidade não foi revelada - denunciou o esquema ao Departamento de Inteligência da Polícia (DIP). Os agentes ficaram de campana na Praça da Gentilândia antes de flagrar a ação.

"Um homem veio de Alagoas para cá. O José Dias foi até o estabelecimento dessa vítima e deixou uma cedula de R$50 como gorjeta, dizendo que havia mais de onde aquela cédula tinha saído. A vitima tomou conhecimento do golpe e denunciou ao DIP", informou a assessoria da SSPDS.

"Era uma falsificação grosseira. Eles usavam duas malas e costumavam colocar notas verdadeiras em cima para enganar as vítimas", complementa Romério.

Todas as notas de R$100 tinham a mesma numeração. Romério Almeida alertou ainda que caso alguém encontre uma nota com a numeração AA007416453 deve procurar a Polícia Civil para informar o local onde a conseguiu.
TAGS