PUBLICIDADE
Notícias

Polícia prende três homens por tráfico de drogas sintéticas

Um dos presos é funcionário de uma companhia aérea. No total, foram apreendidos 33 micropontos de LSD e 84 comprimidos de ecstasy

21:00 | 26/04/2016
NULL
NULL
A Polícia Civil prendeu na tarde desta terça-feira, 26, três homens por tráfico de drogas sintéticas e associação para o tráfico de drogas. Um dos presos é funcionário da companhia aérea TAM e iria fazer a entrega da droga no Aeroporto Internacional Pinto Martins.

Amer Muhammad Noronha 20,funcionário da companhia aérea, foi preso no aeroporto à tarde. Já Antonio Leorne Freire Roberto, 30, o “Léo”, e Carlos Lopes da Silva, 30, foram presos pela em uma praça no bairro Dionísio Torres, outro ponto que a droga apreendida iria ser entregue. Nenhum dos três tem antecedentes criminais.

No total, foram apreendidos 33 micropontos de LSD e 84 comprimidos de ecstasy MDMA. A ação dos agentes da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) começou quando a Polícia recebeu a informação de que haveria uma entrega de ecstasy na referida praça. Os agentes foram ao local e fizeram vigilância até avistarem "Léo" em atitude considerada suspeita. Em seguida, Carlos, vestindo fardamento de um hospital, foi visto entregando um pacote a Léo.

Na abordagem, foram encontrados 30 comprimidos de ecstasy com Léo, 17 desses entregue por Carlos. Em seguida foram achados outros 54 comprimidos escondidos nas portas do carro de Carlos.

Aos policiais, Léo confessou que estava com 13 comprimidos e recebeu os outros 17 de Carlos para completar os 30 e entregar a uma pessoa "desconhecida".

A dupla indicou Amer como fornecedor da droga e que ele iria realizar a entrega de LSD à tarde no terminal de cargas do Aeroporto. Os policiais foram ao local e encontraram Amer saindo de um hangar com 33 micropontos de LSD escondidos na carteira. Foram apreendidos com ele ainda o crachá de Amer, três celulares, dois veículos e R$1,2 mil em dinheiro.

A TAM informou que está colaborando com as autoridades nas investigações, colocando à disposição todas as informações que permitam esclarecer o caso. "A companhia preza pela boa conduta e o cumprimento integral da legislação e reforça seu compromisso com os mais altos padrões de qualidade e segurança", disse em nota enviada ao O POVO Online.

Amer citado em investigação

Amer Muhammad já havia sido citado em uma investigação da DCTD. Ele foi apontado por um preso identificado como Jordão Sobral Santos como fornecedor de drogas sintéticas. Jordão foi preso durante a operação “Avatar”, realizada em março deste ano e que também resultou nas prisões de outras nove pessoas envolvidas com o tráfico de drogas sintéticas.

Ainda no dia da prisão de Jordão, 14 de março, os policiais civis realizaram buscas na casa de Amer e lá encontraram um saquinho contendo vinte e cinco comprimidos de ecstasy e doze pontos de LSD, escondido dentro de seu guarda-roupa. Ele não estava no local, mas depois foi ouvido no inquérito policial sobre o caso e negou a propriedade do entorpecente encontrado em sua residência. Contudo, ele foi indiciado no inquérito e as investigações sobre suas atividades Ilícitas continuaram.
TAGS