PUBLICIDADE
Notícias

Fórum Cocó analisa proposta do Governo e quer inclusão de quatro áreas

Na proposta apresentada pela Sema no último dia 14 de abril, o Parque Estadual do Cocó teria área total de 1.050 hectares, cerca de 400 a menos do que a poligonal sugerida pelo Fórum em abril de 2015

22:11 | 26/04/2016

Depois de analisar a proposta da Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Ceará, o Fórum Permanente pela Implantação do Parque Ecológico do Cocó (Fórum Cocó) decidiu votou pela manutenção de quatro perímetros como áreas de Parque, nesta terça-feira, 26. O Fórum apontou 11 pontos divergentes presentes no projeto do Governo

[SAIBAMAIS2]Na proposta apresentada pela Sema no último dia 14 de abril, o Parque Estadual do Cocó teria área total de 1.050 hectares, cerca de 400 a menos do que a poligonal sugerida pelo Fórum em abril de 2015. Nos demais pontos divergentes entre as duas propostas, a entidade deliberou pela criação de Áreas de Proteção Ambiental (APAs), Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie) e Zonas de Preservação Ambiental (ZPAs) em perímetros que estavam excluídos da proposta apresentada pela Secretaria.

O Fórum apresentará o relatório ao governador do Ceará, Camilo Santana, e ao prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio. Entre os pontos debatidos, estão áreas de dunas do Cocó, dunas da Cidade 2000, Sabiaguaba, Foz do Rio Cocó e Lagoa do Tijolo.

Histórico

O primeiro decreto de proteção do Cocó é de 1986. Ele criou a Área de Proteção Ambiental do Vale do Cocó, com 700 hectares. Outros três decretos sobre o Cocó foram assinados: de Tasso Jereissati declarando área de 1.046 hectares, em 1989; de Ciro Gomes, em 1993, declarando área de 1.155,2 hectares; e de Cid Gomes, em 2008, declarando área de 1.312 hectares. Os decretos definiam as áreas como de interesse social para fins de desapropriação. Porém, a retirada das construções irregulares nunca foi efetivada.

 

Redação O POVO Online

TAGS