PUBLICIDADE
Notícias

Número de homicídios contra mulheres aumentou 130% em 10 anos

Os homicídios contra mulheres aumentaram nos últimos anos no Brasil e no Estado. Segundo o diagnóstico, treze mulheres foram assassinadas por dia no País em 2014

10:28 | 22/03/2016

Com 284 crimes registrados em 2014, os homicídios contra mulheres aumentaram 130,9% no Ceará em dez anos. Em 2004, 123 casos haviam sido registrados. O índice é resultado de crimes relacionados à questão de gênero e aqueles associados à violência geral na sociedade. Os dados foram divulgados na manhã desta terça-feira, 22, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), no Atlas da Violência 2016.

No Brasil, esse tipo de crime também aumentou na última década. Passando de 3,8 mil casos, em 2004, para 4,7 mil, em 2014. Um aumento de mais de 24%. De acordo com o diagnóstico, treze mulheres foram assassinadas por dia no Brasil em 2014. Em 2006, o número de homicídios contra o gênero era de 3,2 para cada 100 mil pessoas. Nos dois anos seguintes houve redução, seguida de aumento a partir de 2009, chegando à taxa de 6,3 homicídios para cada 100 mil pessoas do sexo feminino em 2014.

O diagnóstico do Ipea afirma que esse tipo de crime trata-se de fenômeno distinto da violência que atinge os jovens do sexo masculino e "exige, necessariamente, ações específicas que considerem os vínculos estabelecidos entre vítima e agressor, relações de dependência financeira e/ou emocional, bem como as redes de atendimento e os serviços disponíveis que possam servir como fator protetivo e garantia de manutenção da vida dessas mulheres".

 

SSPDS

Por nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) destacou que, com a implantação do Programa Em Defesa da Vida, em janeiro de 2014, houve uma quebra na tendência de alta que se apresentava entre 2004 e 2013.

Conforme dados da própria SSPDS, a média de crescimento anual era de 14,5%, caindo para 1% em 2014 comparado a 2013. Em 2015, a redução chegou a -9,5%, superando a meta estadual de queda de -6% e a nacional de -5%.

Em 2016, a diminuição vem se mantendo e no primeiro bimestre atingiu -18,6%. A SSPDS reforça ainda que a nota técnica aponta que o Estado do Ceará não possui nenhuma microrregião entre as 20 com maior percentual de crescimento na taxa de homicídios entre 2004 e 2014.
 
A nota segue afirmando que a SSPDS mantém ações contínuas para consolidar o quadro de redução dos indicadores de criminalidade. "As iniciativas desenvolvidas pela Secretaria da Segurança passaram a ter um reforço significativo com o trabalho realizado no âmbito do Pacto por um Ceará Pacífico", coordenado pelo Governo do Estado e que congrega parcerias com prefeituras, diversas secretarias estaduais e municipais, os demais poderes públicos, instituições não-governamentais e privadas.

 

Dados

Os dados analisam ainda os números sobre a evolução dos homicídios por regiões, em decorrência de armas de fogo, por violência policial, e sobre os homicídios de afrodescendentes, mulheres e jovens.

TAGS