PUBLICIDADE
Notícias

Seminário debate realidade e papel da juventude na favela

A programação vai contar com debates e apresentações artísticas. Entre os convidados, DJ Doido e Fuzzy, e a nova geração de artistas do rap e do break

20:44 | 26/02/2016

A favela tem potencial e a juventude quer mostrar isso. Esse é foco do projeto Rede Fala Favela, que promove no próximo dia 5 de março, no Cuca Jangurussu, o seminário “Somos Todos Um”. Com realização de palestras, debate e apresentações artísticas, o evento inaugura a retomada do trabalho, que surgiu com a primeira etapa entre 1998 e 2006. Para participar, é necessário realizar inscrição online.

O artista plástico, DJ e rapper Daniel Pimenta Veloso, 33, conhecido como Fuzzy, faz parte da velha guarda da Rede e diz que a nova etapa terá como grande incentivadora a internet, servindo como plataforma de comunicação e integração. “A gente espera expandir e fazer disso uma rede de integração entre os jovens da periferia”, comenta.

Debates

Na programação do seminário, três eixos deverão nortear os debates. Além de discutir as “dificuldades de ser jovem na periferia”, os participantes vão comentar o “abismo social entre periferia e outros setores da sociedade, criado ao longo dos anos, e também buscar alternativas para a transformação”, além de destacar as “potencialidades de cada comunidade”, detalha Fuzzy.

O evento mobilizará jovens líderes que terão como objetivo buscar os caminhos de superação para os limites do dia a dia da favela, diz o artista plástico, que será uma das atrações durante a programação.

“A periferia é 80% da população. Não tem como basear a cultura de Fortaleza em um único polo – Praia de Iracema, Aldeota, Meireles. Na periferia também tem talentos e a gente quer trazer isso à tona”, comenta, sobre o papel da Rede de dar visibilidade à produção artística e cultural das comunidades.

Juventude

Sobre o resgate dos jovens, ele reforça que a transformação social só é possível através da arte e da cultura, afirmando que "a mesma juventude que vive a realidade violenta da favela tem o poder de transformação".

O seminário pretende trazer um olhar diferente para a periferia, tanto do poder público, quanto da própria comunidade. “Com esse turbilhão de ideias e pessoas de vertentes culturais e manifestações diversas, queremos disseminar ideias de mais tolerância, de consciência política, social e ambiental", destaca o artista.

Violência e Consciência

A chacina do Curió, que terminou com a morte de 11 pessoas, não será esquecida durante o evento, comenta o artista. “O ‘caso Curió’ é o mais real que se pode apresentar sobre essa situação de desigualdade social; foi o estopim. Embora o extermínio da juventude da favela ocorra diariamente, é um extermínio cultural”. E finaliza: “nós queremos inserir novos exemplos de vitória, trazer o positivo ao alcance das visões do outro”.

Serviço:
Seminário Juntos Somos Um

Data: 5 de março de 2016.
Horário: Das 8h às 18h.
Local: CUCA Jangurussu
Fan Page: https://www.facebook.com/falafavelace/

As inscrições para o Seminário podem ser feitas online através do endereço: https://docs.google.com/forms/d/125dDT8bZktI9F8dSssmpAayeZdwryu_3zjhBIT5XM00/viewform?c=0&w=1.

Promoção: Fundação Cepema e Rede Fala Favela

Apoio: Rede Cuca – Cuca Jangurussu, Prefeitura de Fortaleza, Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares de Autogestão Do Ceará – Universidade Federal do Ceará (UFC).

Programação:

8h-9h -Café da manhã | Credenciamento | Música (DJ)
9h-9h30min- Abertura
9:30h-11:30h – Apresentações Juventude Rede Fala Favela (15 min por palestrantes)
11h30min-12h30min- Debate | Participação do Público
12h30min- 13h30min - Almoço | música (DJ)
13h30min -14h30min – Trabalhos de grupo/Apresentação/Abordagem – Salas Multiuso 1 e 2
14h30min -15h30min – Conclusão/Avaliação - Salas Multiuso 1 e 2
15h30min -18h – Apresentações musicais (DJ Doido, Rappers, MCs)
Grafite Fala Favela, Coletivo Socioambiental do Jangurussu e Projeto Mais Cor Mais Amor

TAGS