PUBLICIDADE
Notícias

Prefeitura investiga possível caso autóctone de febre chikungunya em Fortaleza

O resultado será divulgado em boletim. Neste ano, dois casos da doença já foram confirmados na capital, mas em pacientes que estiveram em Pernambuco

16:27 | 12/02/2016

A notificação de um paciente, possivelmente com febre chikungunya, em Fortaleza, está sendo investigada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Se for confirmado, este será o primeiro caso autóctone da doença transmitida pelo Aedes aegypti, na capital cearense. O resultado será divulgado em boletim epidemiológico.

Neste ano, dois casos da doença já foram confirmados em Fortaleza, mas em pacientes que estiveram em Pernambuco – que decretou estado de emergência devido ao mosquito transmissor também da dengue e da zika. “Todas as evidências apontam para a febre, mas a confirmação depende de resultados laboratoriais. É um alerta porque o rapaz não saiu de Fortaleza, mas mesmo sem a confirmação tomamos as medidas necessárias para evitar a transmissão", explicou ao O POVO Online o gerente da célula de Vigilância Ambiental e de Riscos da SMS, Nélio Moraes.

O paciente com suspeita de febre de chikungunya autotócne é morador do entorno do Campo do América, no bairro Meireles. Em 2015, dois casos da doença foram confirmados na capital em pacientes que viajaram para a República Dominicana. Outros três casos foram confirmados em Aracati (dois pacientes) e Juazeiro do Norte.

"Nesses casos que acompanhamos em 2015, deu tudo certo, pois as medidas de bloqueio foram eficazes. Para nós, o risco é tratado igual, vindo lá fora ou daqui", afirma Nélio. O gerente informou que uma ação de combate ao mosquito será realizada ainda na noite desta sexta-feira, 12, no Centro da cidade.

"Estamos utilizando máquinas costais que contêm depósitos de partículas de produtos químicos. As máquinas emitem gotículas que ficam em suspensão no ar de 30 a 40 minutos para eliminar os mosquitos", explica.

[SAIBAMAIS 2] Outras ações devem ser realizadas na próxima semana, em ruas de áreas comerciais. "Vamos atuar bem cedo, antes dos comércios abrirem as portas, como já definimos com o Clube dos Lojistas. É importante que durante a ação das máquinas as pessoas abram as janelas para o inseticida entrar com maior eficácia nas casas".

Combate
O projeto de lei que autoriza a entrada forçada de agentes sanitários em residências particulares foi aprovado pela Assembleia Legislativa, na tarde de quinta-feira, 11. O texto, votado pelos deputados, prevê também multa e uso de força policial para a ação dos agentes.

Segundo Nélio, a principal ferramenta de combate ainda é a eliminação dos criadouros de Aedes. "Tem que eliminar os focos, essa é a regra básica. Não dá pra baixar a guarda com o mosquito", completa.

Sintomas
O paciente infectado apresenta, após cerca de quatro dias, uma febre repentina e dores nas articulações – principal diferença da dengue. Os outros sintomas são dor de cabeça, dor muscular, náusea e manchas avermelhadas na pele.

 

TAGS