PUBLICIDADE
Notícias

Internos terão oficinas para redução de pena por meio da leitura

Professores ministram oficinas nas unidades prisionais preparando os detentos para o programa de remição pela leitura. Ao todo, 438 leitores estão inscritos

15:15 | 22/02/2016
Mais de 400 internos do sistema penitenciário do Ceará participam de oficinas a partir desta semana para tentar reduzir o tempo de pena por meio da leitura. 
 
Segundo a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus), os livros já foram distribuídos e, nesta segunda (22) e terça-feira (23), ao longo de todo o dia, os leitores participam de oficinas que vão orientá-los a escrever a resenha ou relatório de leitura que precisa ser entregue.
 
O projeto entra em prática após um ano de estudos para a regulamentação da lei que institui a remição por meio da leitura.  Ao todo, 438 internos estão participando do programa. 
 
"O livro tem duas ações, uma é informar e a outra, trasnformar", reflete Cristiane Gadelha, coordenadora de inclusão social do preso e do egresso, "queremos levar leitura para pessoas que não têm acesso ao ensino e nem ao trabalho; queremos tirá-los do ócio, para repensarem a vida e procurarem alternativas e motivação para um futuro diferente". 
 
Segundo a coordenadora, cinco professores foram selecionados para atuarem em cinco unidades diferentes. Ao final de cada ciclo de leitura - juntamente com relatório com nota maior que seis -, as informações serão repassadas aos juízes da vara de execuções penais, que autorizarão a remição de quatro dias para cada livro lido.
 
As unidades prisionais as quais contarão com o programa são o Instituto Penal Professor Olavo Oliveira II (IPPOO II), Casas de Privação Provisória de Liberdade II e III, Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa e Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo.
 
Como funcionará o projeto 
 
- Os participantes terão o prazo de um mês para ler as obras e, ao final, deverão escrever um relatório ou resenha sobre a obra lida.
 
- Esse texto produzido será corrigido pelos professores da Escola EEFM Aloisio Leo Lorscheider, que ministram aulas dentro das unidades prisionais.
 
- Cada resenha deve ter nota maior que seis para contar pontos para a remição. Pode ser lido somente um livro por mês.
 
- O interno que atingir nota superior a seis no relatório produzido terá quatro dias a menos na sua pena.   
 
Redação O Povo Online 





TAGS