PUBLICIDADE
Notícias

Estudantes da UFC denunciam maus-tratos de gatos

Um gato morto foi encontrado por funcionários do restaurante universitário, após desaparecimento dos outros animais da residência. A UFC disse que é contrária aos maus-tratos e apoia movimentos de adoção dos animais

15:20 | 16/02/2016
[SELOLEITOR] Cerca de 14 gatos que viviam em uma residência universitária do Campus do Pici, da Universidade Federal do Ceará (UFC), foram abandonados na Pró-Reitoria de Graduação da instituição, na semana passada. Dias depois, um dos animais que ficou na casa dos estudantes foi enforcado. A denúncia é do estudante de Cinema e Audiovisual, Gustavo Mineiro, 34.

Segundo ele, que mora na residência com cerca de 190 pessoas, os animais eram alimentados por alguns estudantes. Uma parte dos alunos, no entanto, pedia a saída dos bichos e, em assembleia, a realização de uma feira de adoção foi votada. "Umas dez pessoas iam organizar essa feira, porque era a solução para não abandonar os bichos. A feira ia ser depois do Carnaval, porque no período de festas não ia ter muita gente para adotar", relata.

Antes que a feira fosse realizada, os bichos sumiram da residência e foram encontrados na universidade, onde passaram a ser alimentados pelos próprios funcionários da UFC. Na manhã da última segunda-feira, 15, um dos gatos que ficou na casa foi encontrado morto. "É um absurdo pegarem o gato dentro de uma casa para enforcá-lo. O pessoal do restaurante universitário chegou para servir o café da manhã e viu o animal morto, com um cadarço novinho no pescoço", diz Gustavo.

Após a morte, Gustavo e outros residentes procuraram a Polícia Civil para registrar Boletim de Ocorrência. "Chegaram a dizer que foram transeuntes que pegaram o gato, mas eu suspeito de pessoas da casa mesmo, sendo que são 196 residentes, não dá pra saber", explica.

Ferir, mutilar ou matar animais silvestres e domésticos é crime sujeito a detenção e multa, conforme o artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais. No início do ano, O POVO denunciou matança de gatos na Cidade dos Funcionários, onde cerca de 40 animais foram envenenados.

Gustavo espera que os responsáveis pelos maus-tratos dos animais sejam punidos. "Essa situação é horrível, como um ser humano é capaz de fazer isso com um animal indefeso, incapaz de fazer alguma coisa com alguém? Uma pessoa que mata um animal é capaz de matar outra pessoa sem o menor remorso", afirma Gustavo.

O POVO Online procurou a direção da UFC, que informou, por meio de assessoria, que as pessoas que cuidam dos animais nos campi têm permissão especial de circulação para alimentar e cuidar dos bichos.

“A UFC apoia, inclusive, as mobilizações feitas, como por exemplo, movimentos de adoção de animais. O fato citado é contrário à posição da UFC e deve ser denunciado”, completou a universidade.

O que diz a lei
Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:
Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.
1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.
2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

Serviço
Denúncias de crimes ambientais podem ser feitas em qualquer um dos 35 Distritos Policiais de Fortaleza ou Região Metropolitana. O telefone para denúncias é o 190.
TAGS