PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Terminais de ônibus ganharão estações de bicicletas compartilhadas; confira mudanças

Além das novas estações, os usuários poderão utilizar as bicicletas compartilhadas por até 14 horas. O projeto Bicicletas Compartilhadas - Modelo Integração é apresentado pela Prefeitura nesta tarde

15:13 | 07/01/2016

Os terminais de ônibus de Fortaleza vão ganhar estações com 50 bicicletas compartilhadas e, no mínimo, 60 vagas cada. Os pontos também terão paraciclos, e os usuários poderão utilizar as bicicletas por até 14 horas. O prazo para o início do funcionamento do Sistema de Bicicletas Compartilhadas - Modelo Integração é entre abril e maio, segundo a Prefeitura Municipal de Fortaleza.

O novo projeto, que está sendo apresentado pela Prefeitura na tarde desta quinta-feira, 7, segue os mesmos princípios do atual Bicicletar, mas traz mudanças que visam o fortalecimento da integração entre modo cicloviário e transporte público. O sistema é pioneiro no Brasil possibilitando, por exemplo, o pernoite com a bicicleta ou a permanência do veículo no local de trabalho.

Segundo a Prefeitura, o sistema vai funcionar todos os dias da semana, das 05 horas à meia-noite para retirada das bicicletas, e 24 horas (tempo integral) para devolução das bicicletas. As bicicletas retiradas a partir das 17 horas das sextas-feiras poderão ser devolvidas até às 9 horas da segunda-feira subsequente sem que haja penalidade para o usuário (a mesma regra é aplicada aos feriados).

O projeto é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), por meio do Plano de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito de Fortaleza (PAITT). A previsão para a execução do sistema será de cerca de 45 dias após a assinatura do Termo de Autorização, sendo submetido o cronograma de implantação para aprovação pela SCSP.

Utilização
O usuário deverá realizar cadastro para adesão do Bilhete Único Fortaleza e, assim, não haverá taxa de adesão para a utilização do sistema. O benefício é ilimitado, desde que seja respeitado o intervalo mínimo de 15 minutos entre cada uso.

Luiz Alberto Sabóia, secretário-executivo de Conservação e Serviços Públicos e coordenador do PAITT,  explica que a intermodalidade é fator essencial para a sustentabilidade nos transportes em uma cidade. “A priorização à bicicleta, um dos modos de transporte não motorizados e não poluentes, deve ser uma diretriz das cidades que desejam equacionar os problemas de mobilidade urbana, buscando transportar seus cidadãos com rapidez, conforto e segurança”, frisa.
 

 

Redação o POVO Online, com informações da repórter Eduarda Talicy

TAGS