Réveillon de Fortaleza foi tranquilo segundo balanço da PMNotícias de Fortaleza
PUBLICIDADE
Notícias


Réveillon de Fortaleza foi tranquilo segundo balanço da PM

O balanço divulgado pelos órgãos de segurança do Estado apontam o Réveillon de Fortaleza sem grandes ocorrências em Fortaleza. Uma barraca na Praia do Futuro pegou fogo. Dois homens foram presos por assaltos na Praia de Iracema

12:35 | 01/01/2016
NULL
NULL
Na coletiva que apresentou o balanço da Operação Réveillon Fortaleza da Polícia militar, o evento foi classificado como festa da paz. Segundo Ana Cristina Lima, delegada plantonista do 2º Distrito Policial (Aldeota), apenas duas ocorrências de roubo à pessoa foram registradas no Aterro da Praia de Iracema, entre às 16 horas de quinta, 31, início da operação, e às 6 horas desta sexta, 1º, horário do fim dos registros. 

Os dois assaltos ocorreram no calçadão da Praia de Iracema, próximo à tenda de som e foram avisado aos policiais militares presentes no local. Os suspeitos foram presos e não tiveram o nome divulgado.

“Não tivemos o registro de grandes brigas ou confusões em todo o Aterro e na região ao redor. A festa do Réveillon é de confraternização, então costuma ser bem tranquila”, aponta o coronel da Polícia Militar Fernando Albano, responsável pela operação. 

O coronel Carlos Viana, coordenador Operacional do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBM), informou que um incêndio foi registrado em uma barraca na Praia do Futuro. Ninguém ficou ferido. Segundo ele, a preocupação do CBM no Réveillon é com o dia seguinte à festa. “Como é feriado no dia 1º, a pessoas vão à praia e à clubes e existe um grande número de afogamentos, principalmente após a ingestão de bebida alcoólica”, afirma. 

Para garantir a segurança dos banhistas no litoral, 83 guarda-vidas do Corpo de Bombeiros devem trabalhar em toda a extensão da orla de Fortaleza e nas principais praia do litoral Cearense nesta sexta. São 14 postos divididos entre a Capital e as principais praias do litoral cerense, como Jericoacoara, Canoa Quebrada e Cumbuco.
 
Redação O POVO Online 

TAGS