PUBLICIDADE
Notícias

Homem acusado de matar modelo Johnny tem prisão preventiva decretada

Renílson Garcia foi preso em flagrante no dia 29 de dezembro. A audiência de custódia serviu para determinar que ele seguirá detido

17:02 | 21/01/2016

Na tarde desta quinta-feira, 21, foi decretada a prisão preventiva do agente penitenciário Renílson Garcia, acusado do assassinato do modelo Johnny Moura em uma festa realizada no bairro Dunas, no dia 27 de dezembro de 2015. A decisão foi tomada pela juíza Adriana da Cruz Dantas, responsável pela Vara Única Privativa de Audiências de Custódia de Fortaleza.

A audiência de custódia, dessa forma, serviu para determinar que Renílson Garcia segue detido. O agente penitencário responde por homícidio duplamente qualificado (por motivo fútil e utilizando recursos que impossibilitaram a defesa da vítima).

Por ser agente penitenciário, Renílson não pode ficar junto a presos comuns e já era mantido sob custódia no Hospital e Sanatório Penal Professor Otávio Lobo (HSPOL). 

Pesou para decisão da juíza o fato do homicídio de Johnny ter ocorrido em via pública, em horário com grande circulação de pessoas e o disparo de arma de fogo ter sido efetuado contra a cabeça da vítima.
[SAIBAMAIS3]
“Tais circunstâncias demonstram a gravidade, a ousadia e o sentimento de desprezo do representado pela vida humana, além do destemor às leis do Estado, mormente tratando-se de um agente penitenciário, e às regras de convivência social, evidenciando ser necessária a decretação da sua prisão para a garantia da ordem pública”, concluiu a magistrada.

De acordo com o inquérito policial, Renílson teria olhado para a namorada de Johnny, o que gerou uma briga entre o agente penitenciário e o modelo, que desferiu um soco na boca de Renílson.

Após a briga, no final da festa, Renílson esperou a saída de Johnny do buffet. O modelo estava no banco do passageiro do carro da namorada quando foi atingido por um disparo na cabeça. Renílson foi preso no dia 29 de dezembro, dois dias após a morte de Johnny.

TAGS