PUBLICIDADE
Notícias

A partir de dezembro, conta de água ficará mais cara em Fortaleza

Caso o consumidor não consiga atingir a meta de 10% de redução no consumo de água, pagará uma cobrança diferenciada para o excedente

19:49 | 18/11/2015
NULL
NULL

Com a autorização da Autarquia de Regulação, Fiscalização e Controle de Serviços Públicos de Saneamento Ambiental (ACFOR), nesta quarta-feira, 18, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) aplicará a revisão tarifária extraordinária e a tarifa de contingência em Fortaleza, no prazo de 30 dias, impactando no valor cobrado na conta do consumidor. Caso o cliente não consiga atingir a meta de 10% de redução no consumo de água, pagará uma cobrança diferenciada para o excedente.

Conforme a nota técnica da ACFOR, a medida visa diminuir o consumo de água na Capital. Os clientes que ultrapassarem 90% do consumo médio de outubro de 2014 a setembro de 2015 vão receber uma cobrança com aplicação percentual de 120% sobre as tarifas. Na revisão tarifária extraordinária será aplicado um percentual médio ponderado de 12,9%.
[SAIBAMAIS1]
No caso do interior e municípios da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) atendidos pela Cagece, a proposta de aplicação dos mecanismos de revisão e contingência ainda aguarda homologação por parte da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Estado do Ceará (Arce).
[FOTO2]
Cobrança
O aumento da tarifa será aplicado de forma escalonada de acordo com o consumo e o tipo de usuário. O menor índice (8,13%) será para os usuários das categorias Residência Social, Residência Popular (nos primeiros 10 m³) e Entidades Filantrópicas. O maior será de 19,5% nas demais categorias. “Considerando a escassez de água, é natural que se cobre mais para o consumo mais ostensivo”, explica Mário Monteiro, coordenador econômico-tarifário da Arce. Segundo ele, levando em conta o escalonamento e a inflação do período, 75% dos usuários não terão aumento real na tarifa.


Redação O POVO Online

TAGS