PUBLICIDADE
Notícias

Moradores reclamam de eletrodomésticos queimados após queda de energia

Moradora relata que já perdeu 3 eletrodomésticos e que a Coelce indefere seus pedidos de ressarcimento; companhia alega desconhecer quedas de energia no horário alegado pela moradora

10:58 | 30/07/2015

Moradores da rua 822, localizada na III etapa do Conjunto Ceará, se dizem prejudicadas com as sucessivas quedas de energia no local. A última delas foi na noite da última terça, 28, que deixou a vizinhança inteira sem energia. A reclamação é de que muitos eletrodomésticos já foram queimados devido ao problema e que até agora a Companhia Energética do Ceará (Coelce) não ressarciu os prejuízos, pois alega desconhecimento destas quedas no fornecimento.

A funcionária pública Sirlene Gomes é uma das que reclama do problema. Segundo ela, é comum os fios elétricos da rua caírem ou então haver curtos-circuitos no local. "A gente não sabe porque, mas os fios simplesmente caem. Eles vem recolocam e, com qualquer chuvinha, estes fios caem de novo", reclama.

A moradora afirma que já perdeu três eletrodomésticos e que, mesmo fazendo todo o procedimento orientado, não houve ressarcimento da Coelce. Segundo ela, a companhia alega não ter registro de quedas de energia nos horários informados por ela. "Já tive queimados um aparelho de ar-condicionado, um motor de portão e um micro system.

Pedi para que fosse realizada uma perícia, mas minha solicitação foi indeferida porque não havia, segundo eles, nenhuma ocorrência de queda de energia no horário que eu citei", relata.

Outra moradora que está insatisfeita é dona Dalva. Ela reclama que já estava sem energia há mais de 12 horas e que o problema ainda não havia sido resolvido. Segundo a dona de casa, curtos-circuitos são frequentes na rua. "Aqui, vez por outra, os fios caem, um transformador que tem aqui na esquina estoura e a gente fica sem energia. Agora, neste exato momento, tem gente da Coelce consertando a fiação. Pedi pra eles trocarem logo a fiação, mas eles dizem que só podem remendar, pois não tem material para trocar", disse. Dona Dalva acredita que, com a troca de fiação e do transformador a situação pode ser normalizada. "A gente quer que esse transformador seja trocado. Ele não aguenta a carga e sempre explode. E essa fiação toda remendada também. Se trocar, acho que isso se resolve", opinou.

Em nota, a Coelce afirma que, durante o procedimento citado por dona Dalva, foram substituídos 180m de fiação e que o serviço foi normalizado às 10h51. Com relação ao ressarcimento de eletrodomésticos por oscilações na energia, a companhia informou que o cliente deve formalizar a reclamação em até 90 dias da data do dano elétrico por meio das lojas de atendimento, sob os seguintes pré-requisitos: ser o titular da unidade consumidora onde houve a ocorrência; informar a data e o horário provável da ocorrência do dano; relatar o problema apresentado; descrever as características gerais do equipamento danificado, tais como: marca, modelo, ano de fabricação etc.

 

Com relação ao motivo do indeferimento da demanda de ressarcimento feito por dona Sirlene, a Coelce informa que os pedidos foram indeferidos por não ter sido identificado registro de ocorrência no período citado pelas clientes. Caso desejem, as clientes podem procurar novamente a Coelce para solicitar o pedido de ressarcimento de danos.

 

Redação o Povo Online

TAGS