PUBLICIDADE
Notícias

"Software não foi entregue", diz RC sobre pane nos semáforos; empresa rebate

A origem dos problemas nos semáforos de Fortaleza será investigada pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MP). Aparelhos apresentam falhas desde o Carnaval

13:48 | 26/02/2015
NULL
NULL

Atualizada às 19h31min

O prefeito Roberto Cláudio (Pros) comentou os problemas nos semáforos de Fortaleza, na manhã desta quinta-feira, 26. Durante a assinatura da ordem de serviço das unidades de acolhimento para usuários de álcool e drogas, ele disse que a denúncia de sabotagem dos aparelhos será investigada.

>> Vereador propõe CPI dos Semáforos

"A Prefeitura não reconhecia integralmente a dívida da empresa, mas no dia seguinte conseguimos contar com o Detran para a manutenção dos aparelhos", defendeu. Segundo RC, o software dos aparelhos foi comprado da empresa terceirizada no ano passado, mas não foi entregue. Assista ao vídeo:

A empresa rebate a declaração do prefeito. O diretor Nova Koasin, Valdir Roberto, disse ao O POVO que o software foi entregue para a Prefeitura de Fortaleza com cópias dos manuais de utilização. Ele acrescentou que a dívida da Prefeitura é na ordem de R$ 9 milhões - referente a meses dos anos de 2013 e 2014. 


O diretor disse ainda que a empresa presta esse serviço há 14 anos e meio ao município. Segundo Valdir Roberto, a Nova Koasin comunicou à gestão que iria interromper o serviço, teve reuniões com membros da AMC, secretários e outros gestores e que apresentou todas as planilhas sobre a situação.
 

[VIDEO1]

[SAIBAMAIS 3] Pane
Segundo a Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC), o problema persiste porque a empresa terceirizada responsável pela manutenção, a Nova Koasin, abandonou "irresponsavelmente" o serviço. O diretor da Nova Koasin, Valdir Roberto, afirmou que os serviços foram suspensos devido a atrasos nos pagamentos referentes a alguns meses de 2013, 2014 e janeiro de 2015.

A origem dos problemas nos semáforos de Fortaleza serão investigados pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MP). Uma nova contratação emergencial deve ser lançada até o fim desta semana, conforme divulgado pela AMC. O órgão rescindiu contrato com a Nova Koasin alegando abandono do serviço. Por enquanto, agentes e orientadores do Via Livre operam manualmente em alguns cruzamentos.

Redação O POVO Online
TAGS