PUBLICIDADE
Notícias

Manutenção de semáforos foi suspensa por inadimplência, diz empresa

A Prefeitura comunicou que vai rescindir o contrato com a Nova Koasin e fará contratação em caráter de urgência de uma nova empresa

19:19 | 19/02/2015
A empresa terceirizada Nova Koasin, responsável pela manutenção dos semáforos de Fortaleza, afirmou que interrompeu o serviço por falta de pagamento por parte da Prefeitura. A declaração foi feita nesta quinta-feira, 19, pelo diretor da empresa, Valdir Roberto, em entrevista à Rádio O POVO/CBN. 

"Nós temos um contrato com a Prefeitura. Este contrato estava sofrendo uma série de ineficiência de pagamentos. A gente, através de comunicados e notificações, amigavelmente, foi conversando com os gestores da Prefeitura, com relação a essa nossa situação", explicou o diretor. 

[SAIBAMAIS 2]Nesta quinta-feira, 20 semáforos apresentaram falhas na Capital. O problema acontece em diferentes bairros de Fortaleza desde o Carnaval.

"Chegou o momento em que nós tivemos que parar nossas obrigações, porque não estava mais sustentável, com relação ao pagamento de todos os nossos fornecedores, funcionários", acrescenta. 

Valdir Roberto informou que a empresa presta serviços à Prefeitura há 14 anos. "Temos valores para receber de 2013, de 2014, e temos o mês de janeiro de 2015", destacou. 

O diretor de trânsito da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), Arcelino Lima, explicou que a decisão da Nova Koasin de abandonar o serviço de manutenção foi comunicada oficialmente na quarta-feira, via ofício. A rescisão contratual será publicada no Diário Oficial do Município desta sexta-feira, 20. 

"Por enquanto, os equipamentos estão sendo consertados por equipes do Detran. Até o final desta semana, a AMC fará contratação em caráter de urgência de uma nova empresa, formalizando a dispensa de licitação, já que se trata de um serviço essencial", informou a AMC.

"A contratação emergencial garantirá o auxílio de três equipes de manutenção operando nas ruas. E até o final deste mês, será publicado termo de referência para nova licitação", disse.

Suposta sabotagem

Sobre as denúncias de suposta sabotagem aos equipamentos semafóricos, o diretor rebateu que a empresa não tem responsabilidade sobre a situação. "Jamais iríamos fazer sabotagem. O sistema está aí e, para funcionar, alguém tem que fazer manutenção. Se não faz manutenção, é óbvio que vai acontecer tudo que está acontecendo", defendeu. 

"Agora estão fazendo paliativo, pegando outra empresa, e a cidade está hoje o que está. A responsabilidade não é nossa", disse.

A AMC afirma que os problemas técnicos podem ter sido provocados por oscilações e desligamentos na rede de energia elétrica, mas que encaminhou ofício à Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSPDS). 

A medida foi tomada após a denúncia do diretor do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos do Município de Fortaleza (Sindifort), o agente de trânsito Eriston Ferreira, que sugeriu a possibilidade de sabotagem na rede semafórica. 

Por isso, a autarquia solicitou a cópia das imagens registradas nos cruzamentos que foram afetados, "bem como o monitoramento em tempo real, a partir de hoje, das principais vias com maior fluxo veicular". 

Redação O POVO Online
TAGS