PUBLICIDADE
Notícias

Quadrilha é presa acusada de negociar fuzil de fabricação americana

O flagrante foi realizado em um bar do Conjunto José Walter quando três homens negociavam a venda do armamento

19:42 | 24/11/2014
NULL
NULL
Seis pessoas foram presas, na última quarta-feira, 19, acusadas de negociar um fuzil calibre 556 de fabricação americana. Entre eles está um PM afastado. A Polícia apurou que a quadrilha já havia vendido outros dois fuzis que ainda não foram localizados.

O flagrante foi realizado em um bar do Conjunto José Walter quando três homens negociavam a venda do armamento. São eles: Francisco Pereira Filho, 33; Railson de Oliveira Santos, 34; e Francisco Jorge da Rocha, 36, Policial Militar licenciado para tratamento de saúde. Segundo a Polícia, Francisco Jorge trabalhava como taxista. O fuzil, de alto poder de fogo, estava no táxi de Jorge, envolto em um lençol branco.

O trio informou à Polícia que o fuzil foi repassado por Edvaldo Pereira de Almeida, 39, para ser vendido. A Polícia montou vigilância e ele também acabou preso. Edvaldo apontou o nome de Francisco Geová Oliveira Mata, 38, que seria parente de Carlos Rafael Maia da Costa, morto em abril deste ano em um presídio de Pacatuba.

Carlos seria o proprietário dos três fuzis que estavam em poder da quadrilha. Após interrogatórios, a Polícia chegou em Jordão Bezerra de Sousa, 37, corretor imobiliário, que era apontado como destinatário final dar armas. Porém, Jordão disse que ajudou nas negociações dos dois fuzis já vendidos, repassando para outras pessoas. Não se sabe ainda como a quadrilha teve acesso à arma.
TAGS