PUBLICIDADE
Notícias

Polícia convoca motorista autora da carta com ofensas a agentes para esclarecimentos

A audiência está marcada para esta terça-feira, 18

18:10 | 17/11/2014
NULL
NULL
A motorista que teve o carro rebocado na semana passada e enviou cartas com ofensas a agentes do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) foi intimada a comparecer à delegacia para prestar esclarecimentos. 

A audiência está marcada para esta terça-feira, 18, às 9h30min, na Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC), de acordo com o titular Gustavo Augusto Pernambuco.

"Os agentes procuraram esta delegacia pela proximidade com o Detran-CE, e eu orientei que iria notificá-la", afirma o delegado. "Tudo será apurado. Vamos avaliar se demanda investigação". A condução do caso, explica, vai ficar a cargo do diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE), delegado Rommel Kerth.

Os dois agentes envolvidos no caso também deverão estar presentes. "Nós vamos ouvi-los formalmente", diz o titular da  DRFVC.

Em carta entregue no Detran-CE, na última quarta-feira, 12, uma motorista que teve carro rebocado na Aldeota disparou xingamentos e insultos preconceituosos a agentes. 

Carta
"Hoje tu vive (sic) como gente, convivendo com gente, por causa da maldita princesa Isabel. Senão viveria no tronco com teus antepassados.” Foi com escritos do tipo que três funcionários do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) foram recebidos no trabalho na última quarta-feira, 12.
 
As frases estão em carta no nome de uma motorista que teve o carro rebocado na terça, 11, por volta de 10h30min, na rua Marcos Macedo, na Aldeota. No mesmo dia, ela retirou o veículo do pátio do Detran-CE. Menos de 24 horas depois, teria voltado e deixado cópias da carta para os funcionários da Operação Tolerância Zero em Estacionamento Proibido: dois agentes de trânsito concursados e o motorista do reboque.

Um dos agentes era José Eduardo Ferreira, 36. “Normalmente trabalho removendo veículos. Então já houve quem fizesse escândalo. Mas nunca foi uma situação como essa”, narra. Ele diz que o carro estava estacionado irregularmente. “Nós removemos quatro motos que estavam paradas do lado direito e um carro, modelo Palio (que pertenceria à autora da carta), que era o primeiro estacionado nas vagas de táxi”, lembra. A atitude teria revoltado a motorista.

No texto, ela reclama ainda que, na vistoria realizada pelos agentes antes do reboque, foram listados arranhões e amassados, e rebate dizendo que o carro teria poucos dias de uso. Eduardo diz que a vistoria foi feita pelo colega e não soube informar detalhes.

O POVO entrou em contato ontem com a condutora, que negou ser a autora da carta. Apesar disso, contestou os argumentos levantados pelos agentes para realizar a denúncia. “Tenho testemunha de que fui desrespeitada. Tenho 63 anos, não sou de ameaçar, sou de fazer”, rebateu. Questionada sobre detalhes da ocorrência, ela informou que o caso está sendo tratado por seu advogado.

Insultos
Os insultos transcritos no início desta matéria foram direcionados ao motorista do reboque, um funcionário terceirizado do Detran-CE, a quem a mulher o acusaria de ter inveja por ela “ser branca”. Aos demais envolvidos, em vários trechos ela deseja que “o senhor das trevas os cubra com suas pragas e maldições”.

Na carta, diz desejar “ver todos lá no fórum, algemados. Sim, porque todo marginal que vai a julgamento lá, nas seis varas penais onde trabalho, são gentalha da laia de vocês”. Procurado pelo O POVO, o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) informou que a mulher que assinaria a carta não consta no quadro de servidores.
 
“Fiquei chocado, abismado. Espero que ela não fique impune, senão todo mundo vai achar que pode fazer o que ela fez”, reclama o agente Eduardo.

Redação O POVO Online
TAGS