PUBLICIDADE
Notícias

Casos de dengue em 2014 diminuem 31% no Ceará

Nos casos de dengue no Estado, houve redução de 31%, segundo boletim da Sesa. Ministério da Saúde divulgou dados dos municípios cearenses e em três deles, Pires Ferreira, Baturité e Ipu, estão em situação de risco grave em relação ao número de casos da doença

17:51 | 04/11/2014
O Ceará apresentou queda de 31% em relação ao número de casos de dengue de janeiro a outubro de 2014, em comparação ao mesmo período do ano passado. Os dados estão no boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) na última sexta, 31. De janeiro a outubro de 2014, foram registrados 37.604 casos suspeitos de dengue no Ceará. No mesmo período do ano passado, 54.238 ocorrências da doença no Estado foram notificadas.

Com base nos números repassados pelas secretarias dos 26 estados brasileiros, o Ministério da Saúde (MS) divulgou, nesta terça, 4, o Levantamento Rápido do Índice de Infestação pelo Aedes aegypti (Liraa). A classificação revelou que 117 municípios brasileiros estão em situação de risco para a ocorrência de epidemias de dengue, outros 533 em alerta e 813 cidades com índice satisfatório. No Ceará, apenas três cidades se apresentam nesta lista: Pires Ferreira, a 312 quilômetros de Fortaleza; Baturité a 93 quilômetros da Capital e Ipu, distante 294 quilômetros de Fortaleza. A Capital cearense não apresentou os dados ao MS.

A pesquisa, que identifica os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito transmissor da doença, foi apresentada nesta terça, 4, pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro, e pelo secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa. Na ocasião, também foi apresentado novo boletim da doença, que mostrou redução de casos e óbitos neste ano em comparação com 2013. 

O número de mortes também apresentou queda. Em 2013, 646 pessoas morreram com a doença no País. Este ano, foram 379 casos, uma redução de 41%. Somente no Ceará, foram confirmados 46 mortes pela doença em 2014, uma redução de 32% em relação a 2013.

O epidemiologista Márcio Garcia, coordenador de Promoção e Proteção à Saúde da Sesa, do Ceará, aponta o trabalho da Secretaria como principal razão para a queda. “Óbvio que a falta de chuvas contribui com os números, mas eles não seriam possíveis sem a colaboração do Governo do Estado, através da Secretaria da Saúde, e a colaboração dos municípios”, informa. Ações como o aumento do número de carros fumacê e de homens com equipamento costal com o inseticida são apontados por Garcia como fatores diretos na queda do número de casos no Estado.


Brasil

Em todo o País, o número de casos registrados de dengue caiu 61% entre janeiro e outubro de 2014, em comparação ao mesmo período de 2013, passando de 1,4 milhão de casos para 556,3 mil neste ano. Todas as regiões do Brasil apresentaram redução de casos notificados, sendo que a região Sudeste teve a queda mais representativa, correspondente a 67%, seguida pelo Sul (64%), Centro-Oeste (57%), Nordeste (42%) e Norte (23%). O estado com a maior diferença entre 2013 e 2014 foi o Rio de Janeiro, que conseguiu reduzir em 97% o número de casos, seguido pelo Mato Grosso do Sul (96%) e Minas Gerais (86%).

Os óbitos por dengue no Brasil também apresentaram queda em comparação a 2013. Neste ano, foram 379 mortes, contra 646 confirmados no ano passado, uma redução de 41%. Destaque para os estados de Tocantins, Acre, Roraima, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que não registraram óbitos causados pela dengue em 2014. Para reduzir cada vez mais esses números, o Brasil mantém um programa permanente de combate ao mosquito transmissor. Neste ano, foram repassados aos estados e municípios cerca de R$ 1,2 bilhão para a manutenção de ações de vigilância, prevenção e controle da doença.

TAGS