PUBLICIDADE
Notícias

PM acusado de estupro é condenado a 12 anos de prisão

Nos dois crimes o PM agiu de forma similar, convidando as vítimas para uma carona e logo depois, com a recusa, ameaçando-as com uma arma e obrigando as mulheres a cometer sexo com ele no interior do veículo

19:04 | 31/10/2014
Foi condenado a 12 anos de prisão em regime fechado o tenente Tiago Cândido da Silva, da 3ª Companhia do 5º Batalhão da PM, pelo crime de estupro a duas mulheres. A sentença foi proferida nesta sexta-feira, 31.

Segundo denúncia do Ministério Público do Ceará (MP-CE), um dos crimes ocorreu no dia 19 de março de 2013, por volta das 21h, quando uma mulher retornava para casa, na rua 15 de novembro, no bairro Montese. O policial aproximou o carro e ofereceu carona, mas, ao recusar, a vítima foi ameaçada com uma arma para entrar no veículo. O PM obrigou a mulher a praticar sexo oral com ele.

Em uma segunda abordagem à outra vítima, Thiago obrigou uma mulher, no dia 21 de abril do mesmo ano, a entrar no seu veículo sob ameaça de morte. Era por volta das 5h, no bairro Siqueira, quando o policial forçou a vítima a praticar sexo com o automóvel estacionado próximo à lagoa do Mondubim.

Conforme O POVO apurou à época, em um dos crimes, policiais do Raio ouviram os gritos de socorro da vítima e fizeram a abordagem. O acusado se identificou como policial, tentando evitar a prisão, mas o PM foi detido e encaminhado para o 12º Distrito Policial (DP), onde foi realizado o flagrante. Por se tratar de um militar, Tiago Cândido foi encaminhado ao Batalhão de Choque, onde ficou preso.

As vítimas denunciaram a ação criminosa à Polícia. A defesa do PM negou participação do cliente no crime. Para o juiz “em nenhum momento as vítimas apresentaram declarações dissonantes ou contraditórias, como alega a defesa do acusado. Pelo contrário, narraram a sucessão de fatos de forma contínua e coesa com todo o conjunto fático probatório, oferecendo elementos suficientes para se concluir pela autoria do acusado”.

Redação O POVO Online
TAGS