PUBLICIDADE
Notícias

Secretaria Municipal de Saúde formaliza parte de acordo com Santa Casa

A proposta da pasta do município ofereceu pagamento de R$ 3.347.193,23 devidos à Casa referente os meses de outubro de 2013 a julho de 2014

15:19 | 12/09/2014
NULL
NULL

A Santa Casa da Misericórdia de Fortaleza formalizou parte de acordo, na manhã desta sexta-feira, 12, com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) após reunião realizada com a Procuradoria Geral de Justiça do Ceará para tratar de repasses à instituição médica.

A proposta da pasta do município ofereceu pagamento de R$ 3.347.193,23 devidos à Casa referente os meses de outubro de 2013 a julho de 2014. O valor, no entanto, será parcelado em seis vezes de R$ 557.856,54 com primeiro pagamento agendado para entre os dias 15 e 30 de outubro.


A reivindicação referente ao valor repassado para os procedimentos cirúrgicos na unidade, quando passou de R$ 450 mil mensais extras para cobertura das cirurgias que ultrapassassem a cota definida pelo Município para R$ 200 mil em abril deste ano, deverá ser resolvida em próximo encontro entre as partes agendado para o dia 26 de setembro.

[SAIBAMAIS 1]
Conforme O POVO publicou nesta sexta-feira, a quantidade de cirurgias na Santa Casa sofreu redução de 40% entre os meses de outubro de 2013 e junho de 2014. Luiz Marques, provedor do hospital, informou que a fila de espera chega a 3 mil pacientes e que a diminuição no número de execuções ocorreu pela falta do repasse do Ministério da Saúde, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). O número de procedimentos passou de cerca de 50 para 30 por dia.

Socorro Martins, titular da SMS, informou que houve um aumento de 25% no repasse em relação a 2012. “O que aconteceu foi que eles (profissionais da Santa Casa) começaram a aumentar a demanda para além do que estava no contrato (assinado entre o hospital e a Prefeitura). Discutimos com o Ministério da Saúde e fomos autorizando”, concluiu.


Na próxima segunda-feira, 15, os médicos da Santa Casa irão se reunir no sindicato da categoria, na Aldeota, para discutir o acordo.

 Redação O POVO Online com informações do repórter João Paulo de Freiras, Especial para O POVO

TAGS