PUBLICIDADE
Notícias

Reitoria da UFC se pronuncia sobre o caso da estudante policial

O órgão de ensino afirma que o episódio foi "mal interpretado" e que a própria aluna preferiu se ausentar da sala

17:34 | 05/09/2014

A Reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC) se pronunciou, através de nota divulgada à imprensa, sobre o caso da aluna - policial militar (PM) - da instituição. O órgão de ensino afirma que o episódio foi "mal interpretado" e que a própria aluna preferiu se ausentar da sala. Segundo a Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar do Ceará (ACSMCE), a policial teria sido expulsa do Campus de humanas, localizado no Benfica, por estar fardada.

No documento assinado pelo reitor da Universidade, Jesualdo Pereira Farias, e o vice-reitor Henry de Holanda Campos, consta que o órgão sugeriu que a estudante guardasse sua arma no cofre da Divisão de Segurança da UFC. Além disso, a policial poderia assistir à aula fardada, desde que guardasse sua arma, mas ela teria preferido se ausentar da sala. "Uma aluna do Centro de Humanidades, pertencente aos quadros da Polícia Militar, apresentou-se armada em sala de aula, o que despertou constrangimento entre seus colegas", diz trecho da nota.

Em outra parte do texto enviado à imprensa, a Reitoria esclarece que o campus universitário "é o território mais democrático que temos em nossa sociedade". E continua: "Nele se divulgam e se discutem todas as ideias, nele há espaço para todas as manifestações (civilizadas) de comportamento".

[SAIBAMAIS2]De acordo com a UFC, já houve debate sobre a presença de policiais armados, "diante da escalada da violência", e a instituição se dispôs a ouvir a comunidade interna, a fim de estabelecer critérios que respeitassem a opinião majoritária em cada campus da universidade.

"Os campi do Pici e de Porangabuçu não fizeram objeção ao patrulhamento armado, mas o do Benfica, assumindo o ônus de uma exposição maior à violência, pronunciou-se contra essa ideia. O resultado da deliberação foi comunicado, formalmente, à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), através de ofício', afirma a Reitoria.

A nota ainda aborda a relação entre a UFC, a SSPDS e a Polícia Militar, na qual revela ter "uma longa tradição de colaboração e respeito mútuos".

"Temos certeza de que o episódio de terça-feira – plenamente evitável e absolutamente esclarecido – será encarado pelas autoridades policiais como mais uma oportunidade de estreitarmos e aperfeiçoarmos nossas relações. Tudo o que queremos é respeito ao princípio da Autonomia Universitária e um esforço para conciliarmos a necessária disciplina que orienta a postura da Polícia com os valores culturais que inspiram a conduta dos professores, alunos e servidores técnico-administrativos da Universidade", finaliza.

Redação O POVO Online

TAGS