PUBLICIDADE
Notícias

Centro de Fortaleza terá obra de requalificação no valor de R$ 1 bilhão

17:39 | 08/09/2014
NULL
NULL
A Secretaria de Turismo de Fortaleza (Setfor) apresentou nesta segunda-feira, 8, o Programa de Valorização e Ampliação da Infraestrutura e Atividade Turística de Fortaleza (Provatur), que prevê mudanças no quadrilátero entre as avenidas Imperador, Dom Manuel, Duque de Caxias e a rua João Moreira - no Centro. Serão 24 quilômetros de vias requalificadas. A exposição foi feita na Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL).

Estão previstas intervenções nas calçadas, drenagem, pavimentação e iluminação - além da restauração de prédios históricos, reforma de praças e instalação de fiação embutida. As obras - que têm previsão de início para março de 2015 - devem ser realizadas com recursos provenientes da Prefeitura de Fortaleza e do Ministério do Turismo. Juntos, os dois órgãos vão arcar com R$ 500 milhões.

A outra parte do montante necessário para a realização de todas as obras (mais R$ 500 milhões) será captado através de empréstimo internacional com o Banco de Desenvolvimento da América Latina, o chamado CAF. O valor total a ser investido é de R$ 1 bilhão.
[SAIBAMAIS2]
Entre as metas do Provatur estão valorizar o Centro Histórico de Fortaleza, através da indução do turismo cultural e contemplativo de passeio; fortalecer a segurança cidadã para a plena convivência nos espaços públicos restaurados pelo projeto; induzir uma nova matriz econômica do turismo histórico cultural voltada para o atendimento e acolhimento de turistas; ampliar a qualidade de vida dos residentes da área central de Fortaleza, oferecendo condições de utilização de equipamentos públicos que hoje se encontram subutilizados; e ampliar a quantidade de residentes no bairro. A expectativa é passar dos atuais 28 mil moradores do bairro para 300 mil em 15 anos.

De acordo com o titular da Setfor, Salmito Filho, a intervenção no Centro vai ajudar a preservar o patrimônio histórico, pois a Cidade já tem "turismo de praia e sol e turismo de eventos e é preciso investir e organizar o turismo de patrimônio". Também está previsto no projeto a instalação de 20 bases de vigilância e monitoramento para reforçar a segurança no bairro.

Redação O POVO Online com informações
da repórter Angélica Feitosa

TAGS