PUBLICIDADE
Notícias

Revista com equipamentos eletrônicos nas prisões do Ceará passa a ser obrigatória

A ação determina que todos os visitantes devem ser submetidos à revista mediante o uso de equipamentos eletrônicos, como body scanner, detectores de metais e raquetes. Sete unidades prisionais do Estado aderem à medida com o uso do body scanner

14:30 | 27/08/2014

A portaria publicada no dia 21 de agosto, em Diário Oficial do Estado (DOE) pela Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus), normatiza o procedimento de revista dos visitantes, incluindo advogados, para o controle de ingresso às unidades prisionais, pondo fim à revista íntima sem o uso de equipamentos eletrônicos.

A ação busca permitir um acesso mais humanizado às prisões do Estado e determina que todas as pessoas devem ser submetidas à revista mediante o uso de equipamentos eletrônicos, como o body scanner. Em publicação no site oficial do Governo, o órgão afirma que sete unidades prisionais do Estado possuem o body scanner, onde quatro já estão operando. Além disso, serão utilizados como apoio para revistas os detectores de metais e raquetes.

Nas prisões onde não existirem equipamentos como o body scanner, que não estejam funcionando outros equipamentos eletrônicos ou se o visitante tiver algum problema de saúde que o impeça de ser revistado eletronicamente, eles passarão por uma inspeção manual, realizada por agente habilitado e do mesmo sexo.

[SAIBAMAIS2]

Para reforçar a nova medida, a Coordenadoria do Sistema Penitenciário (Cosipe) está iniciando um treinamento com as equipes de agendes penitenciários para promover uma cartilha de procedimentos da nova revista.

Segundo a Sejus “Nos dias 02 e 03 de setembro, serão capacitados os agentes penitenciários em cargos de chefia (diretores, adjuntos, chefes de segurança e disciplina, chefes de equipe e subcoordenadores). Nos dias 04 e 05 de setembro, todas as agentes penitenciárias femininas serão divididas em duas turmas para receber as instruções e nos dias 16 e 18 de setembro, duas turmas estarão com inscrições abertas para participar do curso. Mais turmas serão abertas para os agentes do interior, com datas divulgadas posteriormente".

O tempo médio de vistoria com o body scanner é reduzido de 12 minutos para apenas 10 segundos. O equipamento permite identificar objetos ilícitos que possam ser colocados nas roupas ou no corpo das visitas, tais como armas, drogas, aparelhos de telefone celular e chips de telefone.

Os visitantes podem ler o Manual do Visitante das unidades penitenciárias e se informar sobre as regras de visitação.

Veja as unidades prisionais que já usam a revista íntima com body scanner:

CPPL Professor Clodoaldo Pinto (CPPL II)
CPPL Professor Jucá Neto (CPPL III)
Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo (Pacatuba)
Instituto Presídio Professor Olavo Oliveira II (IPPOO II)

Em implantação do body scanner:
CPPL Agente Elias Alves da Silva (CPPL IV)
Unidade Prisional de Caucaia
Unidade Prisional Agente Luciano Andrade Lima

Redação O POVO Online

TAGS