PUBLICIDADE
Notícias

Cidades cearenses destinam mais de 5 t de embalagens vazias de defensivos agrícolas

Cerca de 200 agricultores dos municípios de Guaraciaba do Norte, São Benedito, Ibiapina, Tianguá e Viçosa do Ceará participaram da ação

15:06 | 26/08/2014

A primeira fase do recebimento itinerante de embalagens vazias de defensivos agrícolas no Ceará, que aconteceu durante o mês de agosto, atendeu 230 produtores rurais dos municípios de Guaraciaba do Norte, São Benedito, Ibiapina, Tianguá e Viçosa do Ceará. Até outubro deste ano, serão realizados 24 recebimentos. A ação consiste no recebimento temporário de embalagens vazias em locais próximos às propriedades rurais como forma de promover a devolução destes resíduos pós-consumo ao Sistema Campo Limpo (logística reversa de embalagens vazias de agrotóxicos).

 

O recebimento viabilizou a devolução de cinco toneladas de embalagens. Todo material foi levado para a central de recebimento de Teresina (PI), gerenciada pela Associação do Comércio Agropecuário do Piauí (Acapi) e, posteriormente, será encaminhado para a destinação final, reciclagem ou incineração, pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV) – instituto que representa a indústria fabricante de defensivos agrícolas para a destinação das embalagens vazias de seus produtos.

 

A ação, que tem a parceria do inpEV, é uma realização da Associação do Comércio Agropecuário da Ibiapaba (Acai) e da Associação do Comércio Agropecuário do Semi Árido (Acasa). Tem o apoio da Adagri e prefeituras municipais. Realização: Associações de revendedores – ACAI - Associação do Comércio Agropecuário da Ibiapaba e ACASA – Associação do Comércio Agropecuário do Semi Árido. Para mais informações, o agricultor pode ligar no ou enviar um e-mail para 

 

Sobre o inpEV

O inpEV – Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias, é uma entidade sem fins lucrativos criada pela indústria fabricante de agrotóxicos para realizar a gestão pós-consumo das embalagens vazias de seus produtos de acordo com a Lei Federal nº 9.974/2000 e o Decreto Federal nº 4.074/2002. A legislação atribui a cada elo da cadeia (agricultores, fabricantes e canais de distribuição, com apoio do poder público) responsabilidades compartilhadas que possibilitam o funcionamento do Sistema Campo Limpo (logística reversa de embalagens vazias de agrotóxicos).

 

O instituto foi fundado em 14 de dezembro de 2001 e entrou em funcionamento em março de 2002. Atualmente, possui mais de 90 empresas e nove entidades em seu quadro associativo.

TAGS