PUBLICIDADE
Notícias

MP entra com denúncia-crime contra os quatro mexicanos acusados de espancar brasileiros

Órgão sustenta manutenção da prisão dos estrangeiros, que estão recolhidos em presídio de Pacatuba. Advogado brasileiro afirma que o grupo assediou a mulher dele

17:19 | 09/07/2014
O Ministério Público do Estado do Ceará ingressou, nesta quarta-feira, 9, uma denúncia-crime contra os quatro mexicanos acusados de espancar dois advogados cearenses. Angel Rimak Eguren Cornejo, Mateo Codinas Velten, Sérgio Israel Eguren Cornejo e Rafael Miguel Medina Pederzini são acusados de lesão corporal grave, lesão corporal leve e constrangimento ilegal, violando os artigos 129, 146 e 69 do Código Penal Brasileiro.

[SAIBAMAIS 3] A ação, através do promotor de Justiça Pedro Olímpio Monteiro Filho, sustenta também a manutenção da prisão dos denunciados mexicanos para garantir a aplicação da lei e o recolhimento de provas. Eles estão recolhidos no Instituto Penal Francisco Hélio Viana de Araújo, em Pacatuba, 32 km de Fortaleza, para onde foram encaminhados na quinta-feira, 2. Na ultima quinta-feira, 3, o promotor de Justiça requereu a conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva dos indiciados e teve o pedido deferido pela Justiça.

Caso
As vítimas, dois irmãos que pediram para não ser identificados, dizem que os turistas assediaram a esposa de um deles. Após o assédio, o marido da mulher teria discutido com os mexicanos, que o agrediram. O irmão dele tentou impedir, mas também foi espancado.

A defesa dos estrangeiros diz que eles estavam no táxi a caminho do aeroporto e que a esposa do advogado teria sido tocada por outro homem. “A vítima achou que tinha sido um dos acusados, porque o táxi estava parado, e o agrediu. Depois de levar um soco ele (mexicano) desceu do carro”, alega o advogado Henrique Garcia.

Redação O POVO Online

TAGS