PUBLICIDADE
Notícias

Três mil militares posicionados em 42 pontos estratégicos no Ceará farão a segurança na Copa

21:26 | 12/05/2014

Assim como na Copa das Confederações, o efetivo militar responsável pela segurança durante os jogos da Copa do Mundo será o mesmo, cerca de 3 mil homens. O efetivo militar convocado fará a segurança de 42 estruturas consideradas estratégicas no Ceará, tais como os Portos do Pecém e Mucuripe, Aeroporto Internacional Pinto Martins, subestação elétrica Delmiro Gouveia entre outros. As operações começam no dia 22 de maio e devem ir até 16 de julho, data de finalização do encontro dos Brics, bloco econômico formado por Brasil, Índia, China, Rússia e África do Sul.

Serão 1 mil homens do Ceará e outros 2 mil mobilizados do Maranhão, Piauí, Pernambuco, Teresina, Goiás e Distrito Federal. Em 2013, os militares cearenses receberam o reforço de tropas vindas do Rio Grande do Norte, uma das cidades-sedes da Copa do Mundo.

Para a contenção de distúrbios está sendo mobilizada a Brigada de Operações Especiais de Goiânia, que atuará na prevenção de ações terroristas e na defesa contra agentes químicos, biológicos, explosivos e nucleares. Já o Pelotão de Engenharia de Teresina será acionado para operações de choque e desobstrução de vias. O efetivo contará também com especialistas do Centro de Defesa Cibernética de Brasília, garantindo assim a segurança contra eventuais ataques de hackers aos computadores.

 

Completam a lista os homens da Força Aérea Brasileira (FAB) para defesa do espaço aéreo; os militares da Artilharia do Comando de Brasília, além dos navios-patrulha da Marinha que farão a segurança dos portos do Ceará. O general afirmou, sem especificar, quais os pontos estratégicos que receberão patrulhamento, monitoramento ou ocupação. Já espaço aéreo em Fortaleza será interditado, na primeira fase, uma hora antes do início dos jogos e três horas após do término das partidas.

O comandante da 10ª RM destacou que, havendo o esgotamento da capacidade operacional das forças dos órgãos de segurança pública do estado (polícias militar e civil), o Exército estará preparado para intervir em casos de distúrbios. “O que preocupa os órgãos de segurança pública são as manifestações agressivas, aquelas que geram danos às instalações públicas, privadas e até vidas humanas. Caso eles não resolvam o problema, passará a ser uma preocupação imediata do Exército. Na sexta-feira, 16, às 8h, ocorrerá o Apronto Operacional das Forças Armadas no 23º BC.

 

Redação O POVO online com informações do repórter Átila Varela

TAGS