PUBLICIDADE
Notícias

Professores substitutos reivindicam salários na frente da CGP

Docentes afirmam que o salário dos últimos dois meses ainda não foi pago. Secretaria afirma que 749 foram pagos nesta quinta-feira, 15

16:52 | 15/05/2014
NULL
NULL

Atualizada às 19:55

Os professores substitutos da rede municipal de Fortaleza voltaram a se manifestar pelo pagamento dos salários dos dois últimos meses na sede da Coordenadoria de Gestão de Pessoas (CGP), no Dionísio Torres, na tarde desta quinta-feira, 15. Os docentes chegaram ao local por volta das 8h e fizeram concentração até à tarde.

Caso os salários não sejam pagos, os professores vão suspender as atividades. A professora Raquel Melo, diz que a maioria não recebeu os salários, mas os que foram pagos não estão corretos. “No meu, por exemplo, falta uma parte significativa. Não é fácil, a gente gasta com combustível, alimentação, muitas vezes trabalhando até em zonas de risco”, pondera.

Raquel afirma que o Edital do concurso estava em acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A SME, no entanto, afirma que a contratação atual feita entre Prefeitura e os professores substitutos não tem garantias do ponto de vista trabalhista. “A contratação dar-se-á mediante termo de contrato administrativo, assinado entre as partes (contratante e contratado)”, completa.

Além do atraso nos salários, os professores denunciam a falta de estrutura nas escolas e o tratamento inadequado por parte da administração municipal, está a falta de informações contratuais. “Ninguém sabe informar nada. Não dão acesso aos contra-cheques para gente não ver os contratos”, diz Raquel.

No último dia 7 de maio, os professores já haviam reivindicado os salários na sede da CGP. Na ocasião, a promotora de Justiça de Defesa da Educação, Elizabeth Oliveira, afirmou que o Ministério Público Estadual (MPE) deverá investigar a falta de pagamentos e os efeitos da situação na rede de ensino.

749 professores foram pagos, diz SME

Em nota, Secretaria Municipal da Educação (SME) explicou que a mudança no modelo de contratação demandou mais tempo para a remuneração, mas que 749 professores foram pagos nesta quinta, além de 583 que receberam o pagamento em abril. “Os contratos do restante dos professores, que foram lotados mais recentemente, já estão em processo de publicação”, completou.

A Coordenadoria de Gestão de Pessoas, segundo a SME, informou que quatro professores que reclamaram de não terem recebido o pagamento hoje foram orientados a procurar novamente a agência bancária e, assim, comprovaram a efetivação do pagamento. Além desses casos, a SME não recebeu nenhuma outra reclamação de mesmo teor.

Município
Atualmente, existem cerca de 11 mil professores efetivos no Município. Na última seleção de substitutos, 1.260 vagas foram ofertadas e, apesar dos números, ainda há carência nas escolas. Os contratos temporários para a docência na rede municipal têm duração de seis meses, podendo ser prorrogados por até dois anos.

 

Amanda Araújo

amandaraujo@opovo.com.br

TAGS