PUBLICIDADE
Notícias

Leitor denuncia degradação na Lagoa de Messejana e entorno

Pelo WhatsApp do O POVO, leitor relatou vários problemas na Lagoa de Messejana. Prefeitura afirmou que está em fase de finalização um projeto de revitalização do local

20:12 | 13/05/2014
NULL
NULL

O leitor Amorim Correia, 37 anos, trabalha próximo à Lagoa de Messejana e relatou ao O POVO Online o que ele e muitos moradores presenciam no dia a dia na região. Há muito lixo jogado nas margens. A água é suja. O mato cresce no calçadão. A Estátua de Iracema está pichada.

Estes problemas vêm de muito tempo, segundo o leitor. "É um descaso total. Toda a extensão da lagoa é assim, não é só um pedaço. Há muito tempo pedimos a limpeza da lagoa e nada conseguem. Ninguém faz nada desde a gestão de Juraci Magalhães", disse Amorim Correia. Ele também reclama da iluminação precária no local, onde tem "várias lâmpadas queimadas".
[SELOLEITOR]
Procurada pelo O POVO Online, a Secretaria Regional VI afirmou, em nota, que providenciará a limpeza da Estátua de Iracema até o final da semana, "ao tempo em que mais uma vez lamenta a ação de vândalos que, sem nenhum compromisso com o patrimônio público, sujam um monumento que é uma homenagem à história de Fortaleza e de seu povo."
[FOTO2]

 

 

 

 

 

 

A Regional comunicou ainda que está em fase de finalização projeto de revitalização da Lagoa da Messejana, realizado por meio do Programa de Adoção de Praças e Áreas Verdes, que contemplará reforma e manutenção permanente do local.

Com relação à iluminação, a Regional informou que será encaminhada equipe ao local para corrigir os pontos apagados. A Regional pede que a população solicite esse tipo de serviço pelo telefone 156.
[FOTO3]

 

 

 

 

 

 

Sobre a limpeza da lagoa, a Empresa Municipal de Limpeza e Urbanização (Emlurb) informa que será enviada uma equipe para verificar a situação do local e, caso haja necessidade, o serviço será incluído na programação de limpeza de lagoas de Fortaleza, realizada periodicamente.

Esta matéria foi sugerida por um leitor pelo WhatsApp do O POVO, no número (85) 8201 9291. Mande você também informações em tempo real para O POVO.

Redação O POVO Online

TAGS