PUBLICIDADE
Notícias

Estudante sofre grave ferimento no dedo do pé durante protesto

14:27 | 07/05/2014
NULL
NULL

[SELOLEITOR]Um estudante de 17 anos sofreu graves ferimentos no dedo do pé durante o protesto realizado no terminal de ônibus da Messejana, na manhã desta quarta-feira, 7. Houve confronto entre os manifestantes com a Polícia e a Guarda Municipal. O grupo de alunos fechou o local, impedindo a entrada e a saída de coletivos, e pediu a entrega das carteiras estudantis.

O aluno ferido é Welker de Oliveira Melo, de 17 anos, da Escola de Ensino Fundamental e Médio (EEFM) Deputado Paulo Benevides. Segundo Caroline Guilherme, 18 anos, colega do jovem, ele sofreu ferimentos após a entrada de policiais do Comando Tático Motorizado (Cotam) e agentes da Guarda Municipal no terminal. Ainda de acordo com a garota, foram arremessadas bombas de efeito moral contra os estudantes e, uma delas, atingiu o amigo.

"Ele (Welker) ficou com o dedo todo cortado, pendurado pelo couro", disse Caroline ao O POVO Online. O jovem ferido recebeu ajuda de um motorista de uma Kombi, que o levou ao Frotinha da Messejana, acompanhado de Caroline e uma professora do garoto. 

De acordo com Caroline, o movimento foi pacífico até a entrada dos policiais e dos guardas municipais no terminal, quando houve o confronto. Segundo ela, com a entrada, os estudantes sentaram no chão e pediram calma. "Nós só queremos nossas carteirinhas", teriam dito os alunos.

[FOTO2]

 

 

 

 

 

 

 

Segundo o comandante do Cotam, o major Alexandre Ávila, a Guarda Municipal não conseguiu controlar a situação e chamou o reforço dos policiais. De acordo com o militar, apenas spray de pimenta foi utilizado por parte da equipe do Cotam para dispersar os manifestantes.

Está marcado um novo protesto dos alunos no terminal de Messejana, às 15, segundo Caroline. Após concentração no local, os estudantes vão se dirigir para uma praça localizada em frente a EEFM Deputado Paulo Benevides.

Esta matéria foi sugerida por um leitor pelo WhatsApp do O POVO, no número (85) 8201 9291. Mande você também informações em tempo real para O POVO. 

TAGS