PUBLICIDADE
Notícias

Chuvas cada vez mais escassas no Ceará neste fim de mês, afirma Funceme

Pelo 3° ano consecutivo, quadra chuvosa fica abaixo da média. Funceme prevê precipitação em áreas de instabilidade, na faixa litorânea do Estado e em Fortaleza

13:03 | 27/05/2014
NULL
NULL

O período chuvoso no Ceará está chegando ao fim. Nos próximos meses, a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) prevê precipitações apenas em áreas de instabilidade, tanto na faixa litorânea do Estado como em Fortaleza.

Segundo a meteorologista da fundação, Dayse Moraes, a quadra chuvosa, que teve início em fevereiro, cessa neste fim de maio e o Ceará deixa de sofrer a influência da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), cada vez mais afastada. “Pros próximos meses a média de chuva é menor, se ocorrer é devido às áreas de instabilidade, que vêm atuar na região Leste e na região jaguaribana, entre a noite e a madrugada”, explica.

Entre as 7 horas desta segunda-feira,26, e as 7 horas desta terça-feira, 27, apenas um município registrou chuva. Em Trairi, a única precipitação também foi baixa, com apenas 1 mm. Durante o decorrer desta terça, a previsão da Funceme aponta céu parcialmente nublado e com possibilidade de chuvas isoladas na faixa litorânea.

Na Ibiapaba e na região Jaguaribana, também há possibilidade de chuvas isoladas. Nas demais regiões do Ceará, a nebulosidade é variável, informou o órgão. Em Fortaleza, o céu deve ficar entre parcialmente nublado e claro durante a noite, com máxima de 31°C e mínima de 24°C.

Abaixo da média
Conforme a Funceme previu anteriormente, a quadra chuvosa do Ceará ficou abaixo da média novamente. Este é o terceiro ano consecutivo em que as precipitações não alcançam a média. “A última vez em que esteve na média foi em 2011, desde então a quadra chuvosa não é suficiente”, afirma Dayse.

De acordo com a Funceme, o quadro de estiagem no Ceará é mais preocupante em relação ao nível dos reservatórios, que permanecem críticos apesar de elevação discreta. Os meses de abril, maio e junho tinham 40% de chances de chuvas em torno da média.

Redação O POVO Online

TAGS