PUBLICIDADE
Notícias

Acusado de esfaquear recepcionista em hospital deve ir a júri popular

Francisco Sílvio estava revoltado com um médico que tratou sua mãe e procurou o profissional em hospital particular. Ele agrediu a recepcionista com seis facadas

10:54 | 02/04/2014
O acusado de invadir o hospital Monte Klinikum, no bairro Meireles, no dia 10 de março de 2013, e golpear a recepcionista do local com facadas, Francisco Silvio de Sousa Nunes, deverá ser levado a júri popular por tentativa de homicídio. Decisão da juíza Valência Aquino, titular da 5ª Vara do Júri do Fórum Clóvis Beviláqua, foi divulgada nesta terça-feira, 1°, pelo Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE).

Francisco Sílvio estava inconformado com a morte da mãe e queria se vingar do médico que a operou na Santa Casa da Misericórdia. Ele acusava o profissional de negligência e queria matá-lo, mas não encontrou o médico no dia 10 e saiu do local. Como as recepcionistas informaram que ele não estava, Francisco voltou no fim da manhã do mesmo dia e, segundo testemunhas, já chegou à unidade hospitalar esfaqueando a recepcionista.

[SAIBAMAIS 2] A vítima foi submetida à cirurgia e conseguiu sobreviver. Francisco Silvio foi preso em flagrante e posteriormente teve a prisão preventiva decretada. A defesa alegou que ele não tinha a intenção de matar, pois teria sido “acometido de uma emoção violenta” ao ser atendido “em tom de deboche” pela funcionária.

Ao analisar o caso, a magistrada considerou que “a dinâmica dos fatos, a prova testemunhal e os ferimentos ocasionados na vítima indicam a necessidade de submeter o réu ao júri popular”. Segundo o TJ-CE, ele será julgado por tentativa de homicídio duplamente qualificado (motivo torpe e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima).

De acordo com o Diário da Justiça, Francisco teve a prisão preventiva revogada na última sexta-feira, 28, com medidas cautelares de apresentação mensal à Vara, não aproximação da vítima e proibição de se ausentar da Comarca até o julgamento final da ação.

Sobre o caso

Aurileide recebeu seis golpes de faca: no pescoço, braço, nas mãos, tórax e na região dos pulmões. Ela teria entrado em luta corporal com o agressor. O acusado foi preso e encaminhado para o 2º Distrito Policial, no Meireles.

Redação O POVO Online

TAGS