PUBLICIDADE
Notícias

81 casos de sarampo são registrados no Ceará

Destes, 66 foram confirmados em Fortaleza, 7 em Uruburetama, 3 em Trairi, 2 em Maranguape, 1 em Jaguaribe, 1 em Itaitinga e 1 em Caucaia

17:53 | 21/02/2014
De 25 de dezembro do ano passado até esta sexta-feira, 21, foram notificados 462 casos suspeitos de sarampo no Ceará. Dentre os casos notificados, 17,5% foram confirmados, 17% foram descartados e 65% estão em investigação epidemiológica.

Houve registro de casos suspeitos em 27 municípios do Estado, sendo estes: Fortaleza (265 casos), Aquiraz (7), Aracati (1), Aracoiaba (1), Beberibe (2), Caucaia (3), Chorozinho (1), Crateús (2), Crato (1), Eusébio(1), Horizonte (6), Icapuí (1), Itaitinga (3), Itapipoca (2), Jaguaribara (1), Jaguaribe (1), Maracanaú (9), Maranguape (7), Mombaça (1), Pacajus (1), Pindoretama (1), Quixadá (1), São Gonçalo do Amarante (1), Redenção (2), Trairi (3), Tururu (4) e Uruburetama (9).

26% dos casos foram confirmados. Destes, 66 foram confirmados em Fortaleza, 7 em Uruburetama, 3 em Trairi, 2 em Maranguape, 1 em Jaguaribe, 1 em Itaitinga e 1 em Caucaia.

Dentre os casos confirmados, 45,5% são menores de um ano de idade e 68% são do sexo masculino. 29,6% dos casos foram hospitalizados, todos sem agravantes e com boa evolução do quadro. Não foi identificado vínculo entre os casos com viajantes.

A DOENÇA
O sarampo, que é transmitido por vírus, acomete crianças e adultos, de acordo com o infectologista pediátrico Robério Leite. Segundo ele, os casos da doença são mais graves em crianças menores, desnutridas e pessoas com deficiência imunológica.

Robério explica que a vacina de rotina do sarampo é feita aos 12 meses de vida, juntamente com rubéola e caxumba (Tríplice Viral) e o reforço é aos 15 meses, juntamente com rubéola, caxumba e catapora (Tetra Viral). "Eventualmente a faixa etária para a vacina pode ser alterada para menores de 12 meses com o objetivo de conter a transmissão, como ocorreu em Pernambuco, onde o número de casos foi muito grande em 2013", diz o infectologista.

SINTOMAS
O infectologista pediátrico enumera os principais sintomas: manchas avermelhadas na pele, que começam no rosto e se espalham pelo corpo rapidamente; febre; tosse; conjuntivite; coriza. Otite, pneumonia e encefalite são consideradas complicações do sarampo.

TRATAMENTO

O tratamento visa ao alívio dos sintomas. O paciente deve repousar, ingerir bastante líquido, comer alimentos leves, limpar os olhos com água morna e tomar antitérmicos para baixar a febre.

Redação O POVO Online

TAGS