PUBLICIDADE
Notícias

Protestos em Fortaleza reúnem entre 80 mil e 100 mil pessoas, segundo PRF

A concentração ocorreu no Makro e os grupos se dirigiram para as avenidas Alberto Craveiro e Paulino Rocha. Novas manifestações estão sendo marcadas via Facebook

20:32 | 19/06/2013
NULL
NULL

Nesta quarta-feira, 19, dia de jogo entre Brasil e México pela Copa das Confederações, uma série de protestos foi registrada em Fortaleza. A concentração ocorreu no supermercado Makro, por volta das 10 horas da manhã, e os grupos se dirigiram para as avenidas Alberto Craveiro e Paulino Rocha. Bloqueios foram montados pela polícia, que utilizou bombas de gás lacrimogêneo e gás para dispersar os manifestantes. Novas manifestações estão sendo marcadas em Fortaleza, via Facebook, para a quinta-feira, 20, e a sexta-feira, 21.

A BR-116 também foi ocupada. Uma loja de conveniência (Posto BR) foi saqueada. Alimentos e bebidas - inclusive cerveja - foram levados pelos vândalos. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), participaram dos protestos em Fortaleza entre 80 mil e 100 mil pessoas.

O jornalista Pedro Rocha, que fazia cobertura para o Comitê Popular da Copa, foi atingido no olho por uma bala de borracha.

[FOTO2] 

 

 

 

 

 

 

 

Três pessoas foram detidas nesta quarta-feira, 19. Segundo a delegada Marília Fernandes, titular do 16º Distrito Policial, a apreensão ocorreu com base no Artigo 286 do Código Penal (incitar, publicamente, a prática de crime), pois eles estavam insuflando a população a jogar pedras nos policiais. Os três assinaram Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e foram liberados.
[SAIBAMAIS 4]

O ápice dos protestos foi registrado na avenida Paulino Rocha. A polícia jogou bombas de gás lacrimogêneo na direção dos manifestantes, que começam a recuar. Alguns objetos de plástico foram utilizados pela manifestação para fazer fogo; pedras foram atiradas na direção do Batalhão de Choque. Um carro dos bombeiros esteve na avenida para apagar os pontos de incêndio. Moradores de locais próximos ao Castelão, no entorno do rio Cocó, dentro da área de segurança definida pela Polícia, estavam reunidos próximo a suas casas e foram dispersados com bombas de gás.
[VIDEO1]
Na altura da Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) novos embates entre manifestantes e Polícia foram registrados. A Cavalaria e o Batalhão de Choque dispersaram os manifestantes utilizando mais bombas. Na rua Jornalista Antônio Ponte Carvalho, pessoas chegaram a ser atingidas nas residências. Moradores saíram de suas casa e houve discussão com a Polícia. Algumas crianças também foram atingidas. Os manifestantes foram dispersados da avenida Paulino Rocha, no sentido da BR-116.

Redação O POVO Online

TAGS