PUBLICIDADE
Notícias

Polícia dispersa manifestantes no Meireles; 55 foram presos e seis menores apreendidos

Jovens participantes do protesto e policiais entraram em confronto. Bombas de gás lacrimogêneo foram utilizadas para conter o avanço dos manifestantes

16:32 | 20/06/2013
NULL
NULL

Atualizada às 0h42min

Seis menores foram apreendidos e 55 pessoas foram presas durante a manifestação desta quinta-feira, 20, segundo informações oficiais. De acordo com o superintendente Carlos Dantas, os 55 ainda serão investigados e nem todos deverão ser autuados em flagrante. Manifestantes foram ouvidos no 2º Distrito de Polícia.

Polícia faz balanço após manifestação

[VIDEO1] 

Às 23h

Até agora, a polícia não divulgou quantas pessoas foram detidas durante a manifestação desta quinta-feira, 20. Nesse momento, manifestantes são ouvidos no 2º Distrito de Polícia. No entorno, muitos familiares chegaram e reclamam da falta de informações. Três advogados foram autorizados a entrar no local.

 

Às 22h45min

Desde o fim do confronto, quando policiais se espalharam nas ruas adjacentes da avenida Barão de Studart, pessoas são detidas e conduzidas para o 2º Distrito de Polícia. Agora há pouco, um grupo de dez manifestantes chegou à unidade acompanhada por homens do Batalhão de Choque.

 

Às 22h20min

O Batalhão de Choque conseguiu dispersar os últimos grupos de manifestantes que ainda resistiam no entorno da avenida Barão de Studart. Muitas bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha foram utilizadas para inibir o possível avanços dos manifestantes. Representantes da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) estão no local e apreendem menores de idade. A Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC) também permanece nos arredores.

 

Às 22h11min

Polícia avança na avenida Barão de Studart para dispersar os manifestantes, que tentam se reunir novamente na altura da rua Pereira Filgueiras. Clima ainda é tenso e alguns jovens recolhem pedras dos canteiros. Pessoas foram detidas. Na concentração, são escutadas palavras de ordem e pedidos para que grupo volte a avançar. Bombas de gás lacrimogêneo ainda são utilizadas.

 

Às 21h50min

Clima tenso na avenida Barão de Studart e nos arredores. A polícia tenta dispersar os manifestantes, que estão nas ruas do entorno. O Batalhão de Choque e a equipe da Cavalaria estão posicionados na via. Eles tentam afastar os grupos que insistem em chegar perto do Palácio da Abolição. Bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha estão sendo usadas pela polícia para inibir a aproximação dos manifestantes. Muita correria pode ser observada. Pessoas dos prédios residenciais próximos observam assustadas.

No cruzamento das ruas Tenente Benévolo e Melquíades Pinto houve ação da polícia e mais correria entre os maifestantes. Bombas de gás lacrimogêneo são jogadas pela polícia nas vias adjacentes.

 

Às 21h40min

Pelo menos duas vidraças do Palácio da Abolição foram quebradas durante o confronto entre manifestantes e a polícia. Nesse momento, parte dos jovens está dispersa nas ruas do entorno. Um grupo de manifestantes permanece na frente do prédio e mantêm confronto direto com os policiais; objetos continuam sendo arremessados. Agora há pouco, a polícia utilizou mais bombas de gás lacrimogêneo.

 

Às 21h28min

Conflito grande entre manifestantes e polícia na entrada do Palácio da Abolição. Grupo tentou invadir o prédio, pela terceira vez, e foi dispersado com bombas de gás lacrimogêneo. Situação está cada vez mais tensa; jovens arremessam bombas caseiras e pedras na direção dos policiais.

Grupo que estava sentado nos jardins saiu para a avenida Barão de Studart. O Batalhão de Choque continua a se posicionar na entrada do prédio.

 

Às 21h20min

O Batalhão de Choque chegou e está se posiconando na frente do Palácio da Abolição. Rojões são arremessados pelos manifestantes na direção dos militares. Garrafas e outros objetos também são jogados. Os policias que estavam nas guaritas tiveram que descer. O clima é tenso e quase todas as grades, utilizadas para proteção do prédio, já foram arrancadas. Muita fumaça pode ser vista no local. Nesse momento, está havendo correria entre os jovens.

 

Às 21h10min

Manifestantes utilizam pranchas de surf no espelho d'água do Palácio da Abolição. O protesto continua pacífico; até agora, não foi registrado nenhum confronto direto com a polícia.

A avenida Barão de Studart continua interditada nos dois sentidos, na altura da sede do Governo estadual.  Nesse momento, pequenos grupos de manifestantes se deslocam para a avenida Pontes Vieira. Houve uma pequena correria entre os jovens e eles chegaram a ter desentendimentos internos.

 

Às 20h39min

Grupos continuam chegando ao Palácio da Abolição, que está com seu entorno tomado pelos manifestantes. A avenida Barão de Studart está fechada nos dois sentidos e o trânsito está complicado nas imediações. Parte dos manifestantes está sentada nas proximidades do prédio; enquanto outros aproveitam para tomar banho no espelho d'água do Palácio da Abolição.

Uma bomba rasga lata foi disparada e os manifestantes vaiaram a ação. Nesse momento, representantes da polícia pediram cinco nomes de lideranças para formar comissão e serem recebidos pelo governador Cid Gomes (PSB). Entretanto, jovens pedem a presença de Cid na parte externa do palácio. Moradores de prédios próximos piscam as luzem em sinal de apoio.  

 

Às 20h25min

Nesse momento, manifestantes chegam ao Palácio da Abolição e movimento não teve nenhum embate com a polícia. Gritos de ordem continuam a ser proferidos. Sede do Governo estadual permanece isolada. Pelo menos 30 policiais garantem a segurança do prédio.

 

Às 20h17min

Palácio da Abolição já está cercado por policiais e a Cavalaria (grupo de oito) se aproxima pela rua Moreira da Rocha. Os manifestantes ainda caminham na avenida Barão de Studart, na direção da sede do Governo Estadual.

 

Às 20h03min

Grupo já se aproxima do Palácio da Abolição. Manifestantes estão na altura a rua Júlio Ventura. Eles continuam gritando palavras de ordem e os moradores de casas próximas manifestam apoio ao movimento.

 

Às 19h45min

Manifestantes não conseguiram chegar a um consenso sobre comissão que deve ser recebida amanhã pela presidência da Assembleia Legislativa. Nesse momento, o grupo está mais disperso e as lideranças estão sendo contestadas pelo restante do movimento. Segundo coronel Pinheiro, responsável pelo intermédio entre jovens e governo, o secretário municipal de Educação - Ivo Gomes - também estará presente na reunião marcada para esta sexta-feira, 21. Na pauta, além das Carteiras de Estudante, está a liberação do passe livre no transporte público para estudantes, autônomos e desempregados.

 

Às 19h36min

Parte do movimento se encaminha para o Palácio da Abolição (sede do Governo estadual) pela avenida Pontes Vieira. Após a utilização de bombas, grupo sofreu dispersão. O cruzamento das avenidas Desembargador Moreira e Pontes Vieira continua ocupado por manifestantes e trânsito segue complicado. Agentes da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC) estão no local.

 

Às 19h25min

Nesse momento, grupo de manifestantes está reunido para escolher uma comissão, que será recebida nesta sexta-feira, 21, às 10 horas. pelo presidente da Assembleia Legislativa, o deputado José Albuquerque (PSB). Grupo quer celeridade na entrega das Carteiras de Estudantes 2013 e, no início, chegou a solicitar a presença do secretário Ivo Gomes. Ações de vandalismo cessaram.

[FOTO2]

 

 

 

 

 

 

 

Às 19h13min

Manifestantes soltaram um rojão no jardim da Assembleia Legislativo, próximo a uma cabine da Polícia Militar. Pelo menos cinco bombas já foram utilizadas até agora pelo grupo. Apesar de alguns jovens solicitarem o fim das ações de vandalismo, os artefatos continuam a ser utilizados por minorias dentro do protesto. Motoristas devem evitar as avenidas Desembargador Moreira e Pontes Vieira. Trânsito do entorno continua complicado.

 

Às 19h05min

Manifestantes já estão na sede da Assembleia Legislativa e continuam protestando por celeridade na entrega das Carteiras de Estudante 2013. Polícia montou barreira para que os jovens não se aproximem do prédio. Houve princípio de desentendimento e o coronel Geovani Pinheiro, que comanda a operação de segurança da polícia, conversou com as lideranças do movimento. Grupo solicitou a presença do secretário municipal de Educação, Ivo Gomes, para que seja dado retorno sobre situação das carteirinhas. Após conversa, manifestantes concordaram em aguardar dez minutos. Cruzamento das avenidas Desembargador Moreira e Pontes Vieira está bloqueado. Trânsito no entorno é complicado.

 

Às 18h51min

Manifestação continua em clima de paz. Participantes gritam contra violência e inibem ações de vandalismo. Avenida Desembargador Moreira está bloqueada. Trânsito está complicado. Nesse momento, manifestantes entram na avenida Pontes Vieira e cruzamentos são fechados. Estudantes estão se encaminhando para a sede da Assembleia Legislativa. Moradores de apartamentos próximos estão piscando luzes em sinal de apoio.

 

Às 18h36min

Nesse momento, grupo de manifestantes passa pela Praça da Imprensa. Movimento continua pacífico e policiais acompanham a caminhada. Entre as reivindicações está a celeridade na entrega das Carteiras de Estudante 2013.

 

Às 18h29min

Manifestantes já se aproximam da rua Vicente Linhares e continuam na direção da Assembleia Legislativa. Segundo a Polícia Militar, a manifestação é pacífica. Duas viaturas, cinco motocicletas e 12 homens à pé acompanham a caminhada. Nos prédios residenciais da área, os moradores colocam panos brancos nas janelas em sinal de apoio.  Na Assembleia Legislativa, 30 policiais estarão posicionados quando o grupo se aproximar. Jovens silenciaram em alguns pontos do trajeto devido a presença de hospitais.

 

Às 18h07min

Nesse momento, manifestantes que estavam reunidos na Praça Portugal caminham na direção da Assembleia Legislativa. O grupo canta hinos e fala palavras de ordem. Muitos estudantes, ainda fardados, participam do protesto. Pessoas que saiam do trabalho também participam da movimentação. Trânsito está impedido nas vias próximas e motoristas fazem desvios. Grupo já está na altura da avenida Santos Dumont.

 

Às 17h58min

Segundo organização do protesto, ainda não foi definido se eles vão seguir para a Assembleia Legislativa ou para o Palácio da Abolição (sede do Governo estadual). Manifestantes cobram passe livre para estudantes e alegam que carteirinhas não são entregues há sete meses. Cobrança do movimento é principalmente por causas relacionadas à educação, mas é possível ver cartazes pedindo "mais paz" e "menos corrupção".

 

Às 17h40min

Os pontos de acesso à Praça Portugal (avenidas Dom Luís e Desembargador Moreira) estão bloqueados devido manifestação organizada por estudantes. Jovens estão concentrados e seguram cartazes pedindo "mais educação", "mais paz" e celeridade na entrega das Carteiras de Estudante 2013.

Segundo Sarah Hannahe, membro da equipe de comunicação do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal do Ceará (DCE-UFC) - um dos órgão organizadores do protesto -, a cobrança do movimento é principalmente por causas de educação e o grupo está pedindo agilidade no processo das carteirinhas, pois 3 mil estudantes da UFC estariam pagando passagem inteira (R$ 2,20). Os manifestantes também cobram a implantação do passe livre em Fortaleza.

 

Às 17h25min

Manifestantes estão reunidos na Praça Portugal para realizar protesto. O comércio da avenida Dom Luís está fechado e agentes da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC) bloquearam o cruzamento da via com a rua Oswaldo Cruz. Os jovens ainda estão concentrados na praça, mas já é registrado um leve engarrafamento.

 

Às 17h08min

Centenas de jovens já estão reunidos na Praça Portugal para um protesto. Segundo o grupo, a movimentação ocorre por mais celeridade na entrega das Carteiras de Estudante 2013. Pelo menos quatro viaturas do programa Ronda do Quarteirão estão no local e policiais permanecem de braços cruzados, ao redor da praça, observando a manifestação do jovens.
Os manifestantes estavam concentrados na região central, mas decidiram formar um círculo em volta da Praça Portugal. O trânsito ainda não foi interrompido. Nesse momento, eles seguram cartazes e fazem apitaço.

 

Com informações dos repórteres Mariana Lazari, Bruno de Castro, Geimison Maia e Michel Victor 

TAGS