PUBLICIDADE
Notícias

Manifestantes fazem ato em Fortaleza

09:41 | 19/06/2013
NULL
NULL

Atualizada
às 14h42min
/>

Na avenida Alberto
Craveiro, onde acontece o protesto, manifestantes liberaram uma parte da
via para que torcedores portando ingresso possam passar.
Após a passagem de torcedores, a PM joga bomba de efeito
moral para dispersar manifestantes que tentam furar o bloqueio.

 

às
14h26min

Os manifestantes
recuaram e o clima na avenida Alberto Craveiro está mais
calmo. Alguns manifestantes bloquearam a entrada de torcedores,
enquanto outros disseram que quem portava ingressos deveria ter acesso
ao caminho do estádio. Houve desentendimentos, mas o
movimento ainda está concentrado. Torcedores que chegam
à Arena Castelão, para assistir partida entre
Brasil e México, que deve começar às 16
horas, também carregam cartazes em apoio ao protestos que
acontecem nas vias próximas ao estádio. Quem
está se encaminhando para a arena tem dificuldade em
encontrar rotas de acesso livres.

 

Atualizada
às14h20min

A
Polícia Rodoviária Federal (PRF) bloqueou o acesso
à BR-116 desde a rotatória da avenida Aguanambi.
Manifestantes bloquearam os dois sentidos da rodovia na área
que fica próximo ao viaduto do Makro. A Anac passou alerta
via twitter
informando sobre as dificuldades que passageiros
que precisam ir ao Aeroporto Pinto Martins terão.

 

O jogador
Neymar
, por meio das redes sociais, criticou o governo e
disse que os protesto irão inspirá-lo na
partida.  

 

14h

A
Polícia conversou neste momento com as liderança
do protesto e estabeleceu o prazo de 20 minutos para que os
manifestantes recuem até uma linha branca demarcada, que fica
nas proximidades do viaduto, próximo à avenida do
Aeroporto. O objetivo é isolar as comunidades que moram
próximo, pois pessoas que moram próximo ao local
chegaram a ficar feridas. 

 

No momento do confronto,
a Polícia chegou a jogar bombas de gás
lacrimogêneo em uma área onde estava um grupo da
imprensa. O repórter fotográfico, Deivyson
Teixeira, teve o óculos quebrado no momento do
confronto. 

 

Os
bombeiros já foram ao local para apagar o fogo que foi ateado
na viatura. 

 

13h15min

Manifestantes
atearam fogo em uma viatura na avenida
Alberto Craveiro. Muitas pessoas correm para se afastar do
veículo e temem uma explosão.

O
Batalhão de Choque e a Cavalaria da Polícia
Militar continuam dispersando a manifestação com
bombas de gás lacrimogênio. Ambulâncias
se dirigem ao local da manifestação.
A BR-116 está ocupada neste
momento
por manifestantes e bloqueada nos dois sentidos.

A Cavalaria se espalha pelas ruas próximas
à Arena Castelão para evitar que manifestantes
cheguem ao estádio. Moradores do entorno fecham as portas das
casas com medo do confronto. Os manifestantes se dispersam, mas afirmam
que não irão deixar o protesto.

[FOTO2]

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma
integrante foi ferida
na perna com bala de borracha e
é atendida pelos manifestantes. Outras
três pessoas foram atingidas por balas de
borracha
, entre elas, o jornalista Pedro Rocha, que
está cobrindo a manifestação pelo
Comitê Popular da Copa e pela produtora Nigéria
Filmes. Atingido no olho, ele passa bem e já está
sendo encaminhado ao hospital. 

12h50min

Os
manifestantes recuaram e se afastaram da barreira de policiais, que
jogam bombas de gás lacrimogênio. Um manifestante
caiu em um buraco das obras da avenida Alberto Craveiro enquanto corria
para se proteger da fumaça. Segundo os integrantes do
movimento, ele passa bem.

Em um momento de recuo,
manifestantes se ajoelharam e pediam que não houvesse
violência. Moradores das proximidades ajudam os manifestantes
oferecendo água para aliviar os efeitos do gás
lacrimogênio.

Segundo o manifestante Edigar
de Brito, muitos integrantes do movimento querem fazer um ato
pacífico enquanto pessoas “infiltradas”
tentam incitar a baderna e o confronto com policiais. 

12h30min

A
primeira barreira que bloqueia o acesso ao Castelão,
composta por policiais militares, foi quebrada por manifestantes no
momento em que dois torcedores passariam para o estádio com
ingresso.

Alguns integrantes jogam pedras,
pedaços de pau e bombas caseiras nos policiais. O
Batalhão de Choque reage com spray de pimenta e
gás lacrimogênio para dispersar a
população. Segundo manifestantes, foram ouvidos
barulhos de granada e tiros.

Os próprios
manifestantes tentam conter os mais exaltados e fazem um
círculo à frente dos policiais. Uma torcedora que
se dirigia ao estádio para o jogo passou mal e
está sendo socorrida.

A
ação dispersou o movimento, que já se
reúne para um novo confronto. 

12h10min

A
Polícia Rodoviária Estadual (PRE) estima que
50 mil pessoas estejam na avenida Alberto
Craveiro neste momento.

12h05min

Manifestantes
chegam à barreira do Batalhão de Choque da
Polícia Militar, que bloqueia o acesso à Arena
Castelão na avenida Alberto Craveiro. As pessoas pedem
passagem e gritam palavras de ordem. Não há
confronto entre policiais e manifestantes. A Polícia afirma
que ninguém ultrapassará o bloqueio. 

Um grupo de integrantes do PSTU chegou com bandeiras e
foi vaiado pelos manifestantes com gritos de “o povo unido
não precisa de partido”.

11h45min

Manifestantes
fecham as duas vias da avenida Senador Carlos Jereissati, que
dá acesso ao Aeroporto Pinto Martins. O viaduto que leva
à avenida Alberto Craveiro também está
repleto de integrantes do movimento. 

11h40min

De
acordo com as Polícias Rodoviárias Federal e
Estadual, cerca de 15 mil pessoas ocupam a
avenida Alberto Craveiro neste momento. 

11h33min

Cerca de mil pessoas vão a
pé da avenida Raul Barbosa
até o
Makro neste momento. O grupo é acompanhado por policiais do
Ronda do Quarteirão, que fazem
escolta em apoio ao movimento.

[VIDEO1] 

11h33min

De
acordo com o coronel João Batista, comandante do
Policiamento Metropolitano, há
três barreiras para evitar a aproximação
de manifestante da Arena Castelão. No cruzamento da avenida
Alberto Craveira com rua Pedro Dantas há uma cerca e
policiais do agrupamento Raio. Logo depois, homens da cavalaria
estão também posicionados. A última
barreira é forma pelo Batalhão Choque. Segundo
ele, cerca de 500 homens estão envolvidos na
operação de
isolamento
.

"A
polícia só irá agir se for para cumprir
seu dever legal. A gente não pretende, não
gostaria, e não de seja o enfrentamento". Viemos
preparados para a paz e para qualquer outra
situação que surja, disse.
/>A Polícia Rodoviária
Federal
realiza fiscalização nas
proximidades do viaduto da BR-116, onde há grande
movimentação nesta
manhã.

10h50min


Batalhão de Choque da Polícia Militar
já se posicionou na ponte que fica no início da
avenida Alberto Craveiro para evitar a aproximação
dos manifestantes da Arena Castelão.

10h43min

Manifestantes
começam a se reunir, em frente ao Makro na
manhã desta quarta-feira
. Os



protesto '%2b Pão - Circo - Copa para
Quem?'. Até às 9h45min
desta quarta-feita, 43,8 mil pessoas já haviam confirmado
participação no protesto. A saída em
direção a Arena Castelão
está prevista para as 12h.

Os
organizadores do movimento divulgaram carta que será encaminhada ao governador Cid Gomes
durante o protesto.

O protesto
já ocupou duas das três faixas da avenida do
Aeroporto, sentido Aeroporto-Lagamar. Os carros passam em baixa
velocidade.

Nos
Terminais

Cerca de 300 manifestantes se
reúnem, na manhã desta quarta-feira, no Terminal
do Papicu e recebem orientações de como proceder
no protesto organizado para ocorrer na avenida Alberto Craveiro. A
Guarda Municipal conta com seis policiais e uma viatura no local.

Os participantes do protesto, na maioria estudantes,
se concentram em clima de tranqüilidade. Um dos manifestantes,
Edigar de Brito, adverte que a intenção
é de chamar atenção da mídia
internacional para a corrupção e o descaso com a
população de Fortaleza por parte das autoridades
políticas. Ele informou ao O POVO Online que teve uma
conversa com a Polícia Militar, chegando a um acordo de paz
para que não haja confrontos durante o movimento. No terminal
da Parangaba também há muitos manifestantes a
caminho da avenida Alberto Craveiro.


/>

Moradores de vários bairros da zona leste se
deslocam do Terminal do Papicu para o Makro pelas linhas
Siqueira/Papicu/Via Aeroporto e Parangaba/Papicu/Aeroporto. O
manifestante Edigar de Brito reclama da demora das linhas, que passam de
20 em 20 minutos. Segundo ele, três ônibus
já deixaram o terminal com grande
lotação a caminho da
manifestação.

Manifestantes
reclamam que a linha Siqueira/Papicu/Via Aeroporto não sai do
Terminal desde as 9 horas da manhã de hoje. Como alternativa
para chegar ao Makro, o grupo espera pelas linhas Via Expressa/Lagoa e
Parangaba /Oliveira Paiva/Papicu. 

Dentre os
integrantes que saem do Terminal do Papicu, estão moradores
dos bairros Cidade 2000, Castelo Encantado, Serviluz, Praia do Futuro,
Cocó, Varjota, Aldeota, Mucuripe, Conjunto Santa Terezinha e
Pirambu.

Mais
informações em instantes

TAGS