PUBLICIDADE
Notícias

Um em cada dois fortalezenses está acima do peso

14:33 | 10/04/2012
Fortaleza é a segunda capital brasileira com maior incidência de pessoas acima do peso, segundo pesquisa do Ministério da Saúde divulgada nesta terça-feira, 10, e inclui o Distrito Federal. O percentual chega a 53,7,4% da população, o que equivale dizer que de cada dois fortalezenses, um está acima do peso. A capital com maior incidência é Porto Alegre, com índice de 55,4% da população total.

Segundo dados da pesquisa, há mais homens acima do peso do que mulheres na mesma situação. Entre os homens há 58,3%. Entre as mulheres, 49,6%. Os dados são da pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2011), divulgado pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Em população obesa, Fortaleza está em quarto lugar entre as capitais brasileiras com índice de 18,4%. Ficaram à frente Macapá-AP (21,4%), Porto Alegre-RS (19,6%) e Natal-RN (18,5%). Em Fortaleza, há mais obesos entre os homens (19,4%). Elas estão em 17,6% da população feminina.

Brasil
Segundo o Ministério da Saúde, o excesso de peso e a obesidade aumentaram nos últimos seis anos no Brasil, é o que aponta o mais recente levantamento realizado pelo Ministério da Saúde. De acordo com o estudo, a proporção de pessoas acima do peso no Brasil avançou de 42,7%, em 2006, para 48,5%, em 2011. No mesmo período, o percentual de obesos subiu de 11,4% para 15,8%.

Para o ministro, o resultado desse levantamento mostra que é necessário continuar investindo em ações preventivas, sobretudo aos mais jovens. “Com o resultado desse levantamento nós conseguimos resultados que permitem aprimorar nossas políticas públicas, que são essenciais para prevenir uma geração de pessoas com excesso de peso”, disse o ministro durante o anúncio da pesquisa feita em parceria com Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo.

O estudo retrata os hábitos da população brasileira e é uma importante fonte para o desenvolvimento de políticas públicas de saúde preventiva. Foram entrevistados 54 mil adultos em todas as capitais e também no Distrito Federal, entre janeiro e dezembro de 2011.

O aumento das porcentagens de pessoas obesas e com excesso de peso atinge tanto a população masculina quanto a feminina. Em 2006, 47,2% dos homens e 38,5% das mulheres estavam acima do peso ideal. Agora, as proporções subiram para 52,6% e 44,7 %, respectivamente.

O problema do excesso de peso entre os homens começa cedo. Entre os 18 e 24 anos, 29,4% já estão com o Índice de Massa Corporal (IMC) – razão entre o peso e o quadrado da altura – maior ou superior a 25 Kg/m², ou seja, acima do peso ideal. Já a proporção em homens com diferença etária de apenas 10 anos (idades entre 25 e 34 anos) quase dobra, atingindo 55% da população masculina. Na faixa etária de 35 a 45 anos, a porcentagem alcança 63% dos homens brasileiros.

Márcio Teles
[email protected]

TAGS