PUBLICIDADE
Notícias

Operários do Castelão avaliam proposta de empresários nesta quarta

De acordo com informações do sindicato, caso seja aprovada a proposta, os operários devem retornar as atividades, após a assembleia

12:19 | 10/04/2012

Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Pesada (SINTEPAV-CE) realiza assembleia com os operários responsáveis pela obra de reforma do Estádio Castelão para a Copa 2014, às 6h, nesta quarta-feira, 11.A assembleia seria realizada nesta terça-feira, 10, mas foi adiada pelo número insuficiente de trabalhadores.

De acordo com informações do sindicato, caso seja aprovada a proposta, os operários devem retornar as atividades  após a assembleia. Os operários que estão paralisados desde o dia 3 de abril, reivindicam equiparação salarial, pagamento de horas extra, aumento no valor da cesta básica, entre outras.

De acordo com o SINTEPAV-CE, os trabalhadores devem aprovar, ou não, a proposta das empresas para que possam retornar ao trabalho enquanto seguem as negociações entre sindicato e os responsáveis pela obra.

Propostas 

Durante a reunião realizada nesta segunda-feira, 9, com o Consórcio responsável pela obra de reforma do Estádio (Galvão Engenharia e Andrade Mendonça), os empresários apresentaram uma proposta que atende dois dos demais itens exigidos pela categoria. O aumento dos salários e o fornecimento de cestas básicas. O Sindicato não informou o percentual oferecido pelos empresários.

Entenda a notícia

No último dia 3, cerca de 1.200 operários que trabalham nas obras do estádio Castelão para a Copa 2014 entraram em estado de greve. De acordo com o Sintepav-CE, os trabalhadores paralisaram as obras em decorrência do descumprimento de um acordo coletivo realizado em abril de 2011.

Durante assembleia realizada pelo sindicato em fevereiro de 2012, os funcionários relataram irregularidades nas empresas do consórcio Arena Multiuso Castelão. Segundo o sindicato, foi feito um aditivo ao acordo coletivo do ano passado, que incluiu as empresas subcontratadas.

A categoria informou que essas empresas subcontradas não estão pagando o salário estabelecido no acordo com o consórcio e os trabalhadores também não estariam recebendo valor adicional pela hora extra

Jéssika SIsnando

[email protected]

TAGS