PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL violencianainternet

Especial Violência na Internet discute os impactos sociais da cultura do cancelamento

25/03/2020 07:00:27
Cena de
Cena de "Ultracrepidário", espetáculo da Cia. Teatral Acontece que aborda a cultura do cancelamento (Foto: Priscila Smiths/Especial para O POVO)

Termo eleito o mais importante de 2019 pelo dicionário Macquirie, a cultura do cancelamento segue dando o que falar nas redes sociais, especialmente com a chegada de mais uma edição do Big Brother Brasil em que praticamente todos os jogadores já estiveram na mira do público como sensatos ou “cancelados”. Nova prática de linchamento virtual, a cultura do cancelamento pode, no entanto, causar danos muito maiores do que a simples ausência de simpatia de um grupo de pessoas.

Na segunda temporada do projeto Violência da Internet, lançado nesta quarta-feira, 25, pelo Grupo de Comunicação O POVO, especialistas em Comunicação, Direito e Psicologia discutem as implicações morais e emocionais impostas através da cultura do cancelamento e por que, ainda que pareça inofensiva, a prática pode ser enquadrada como um ato de violência – com consequências sérias para vítimas e algozes.

“A ideia de fazer o projeto como um todo partiu da observação de casos de reputações destruídas, pessoas entrando em depressão e até cometendo suicídio devido a ataques violentos na internet. A narrativa do nocaute, que busca apenas expor e fragilizar o outro, nos inspirou a refletir sobre esse sistema de justiça ‘com as próprias mãos’, que acaba proporcionando uma espécie de banimento social. Especialmente em tempos como esses, em que a convivência digital irá aumentar, precisamos nos comunicar virtualmente com muita consciência”, explica Jimmy Lucas, gerente de Planejamento e Novos Projetos do Grupo de Comunicação O POVO.

Multimídia

A segunda parte do especial também conta com episódios de podcasts produzidos pelo O POVO que analisam a cultura do cancelamento e suas implicações. No podcast “Orgulho Contra-ataca”, Alice Falcão, Fernando Diego, Camila Cerdeira e Renan Lelis batem um papo sobre os cancelamentos na cultura pop.

O projeto também possui um webdocumentário com relatos de especialistas e vítimas que já está disponível para assinantes e tem o apoio institucional da Prefeitura de Fortaleza. A concepção e direção geral é de Jimmy Lucas, a direção é de Raphael Góes e o roteiro e a direção de cena de Bruno Melgacio. A edição e animação é de Rodrigo Vasconcelos


Confira a 2ª parte do especial sobre Violência na Internet do O POVO