PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL GuiaDoEmpreendedor

O uso de protótipos para auxiliar no planejamento

Imagine poder testar o modelo do seu negócio antes de investir tempo e dinheiro com força total. Gostou da ideia? Pois então veja como a prototipagem pode te ajudar

10/10/2018 12:32:00
NULL
NULL

[FOTO1]
Um empreendedor decidiu abrir um quiosque de churros em um shopping da cidade. Testou receitas, comprou maquinário, pagou taxas e investiu em marketing. Antes de começar “para valer”, decidiu buscar ajuda especializada, e a orientação passada foi que, dadas as circunstâncias, seria mais interessante ele tentar vender os doces em um ambiente menor e mais controlado, no caso, uma escola. Algumas semanas depois, tomando como base as experiências em campo, o empreendedor descobriu que precisava fazer vários ajustes na receita dos churros antes de começar a comercializá-los em maior escala. 
 
Quem conta a história é Marília Diniz*, administradora de empresas: “apesar de não ser tão comum, a utilização de protótipos [no caso, o quiosque de churros na escola] é uma ótima forma de fazer um teste de validação no negócio e identificar os pontos mais fortes e também aqueles que podem se tornar um problema futuramente”, aponta. “Muito melhor do que testar o produto com a empresa já aberta no mercado, o que vai consumir mais recursos financeiros e tempo”, afirma.
 
Ou seja, os protótipos ajudam o empreendedor a visualizar se o plano de negócio está indo no caminho certo ou não, com o benefício de não deixá-lo correr grandes riscos em termos financeiros, já que um protótipo demanda menos investimento do que o produto final. Outra vantagem é que os equívocos podem ser corrigidos sem que a credibilidade da marca seja abalada.
 
1, 2, 3 testando
Ainda que prototipar seja mais comum em startups e empresas que trabalham com tecnologia [a versão beta de programas e serviços é uma forma de protótipo], é possível aplicar o modelo para qualquer ramo de atuação, o que pode resguardar o empreendedor em relação a prejuízos e ainda dar a experiência prática necessária para que ele se sinta mais seguro na hora de dar passos mais desafiadores. 
 
Mas como fazer o teste com protótipos e analisar os riscos de forma barata, rápida e eficaz? Por exemplo, no caso de um negócio virtual, uma dica é iniciá-lo por uma forma simplificada do que você pretende oferecer no final. Assim, será possível sentir o mercado e planejar, levando em consideração a recepção e o retorno dado pelos usuários. Se a empresa opera no offline, a dica é produzir o produto em menor escala ou o serviço em área de atuação mais restrito, analisando quais os desafios técnicos e logísticos para que ele seja distribuído, custos e proposta de valor.
 
Por fim, dedicar-se a um protótipo é, para a maioria dos empreendedores, uma oportunidade prazerosa, momento de finalmente tirar a ideia do papel e vê-la em ação. E o melhor: sem medo de cometer erros. 
 
 
*Analista do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Ceará (Sebrae/CE)

TAGS