PUBLICIDADE
PUBLIEDITORIAL GuiaDoEmpreendedor


Veja como elaborar um plano de negócios

Seguir a construção de um plano passo a passo auxilia no entendimento do mercado em que o empreendimento será inserido e ajuda a estruturar um negócio mais sólido

30/08/2018 09:30:00
NULL
NULL

[FOTO1]
Depois de encontrar uma ideia que tenha potencial para se transformar em uma empresa e que seja validada, é importante dedicar-se à construção de um plano de negócios. Este possibilitará uma real percepção acerca do mercado em que se pretende atuar, do produto que será oferecido, dos concorrentes e da forma como o empreendedor irá gerir o negócio. No plano devem constar os objetivos da empresa e as etapas a serem realizadas para alcançá-los.
 
De acordo com Giovani Nogueira*, mestre em Administração e Controladoria pela Universidade Federal do Ceará, o plano é o momento de “estruturar todo o seu negócio antes mesmo de ele, efetivamente, existir, minimizando assim os riscos que você possa ter com a eventual colocação do negócio para funcionar, tanto na [fase de] instalação como na de desenvolvimento”. Segundo o professor universitário, diversos autores falam sobre o assunto, logo, existem diferentes modelos e referências para montar o “documento”.
 
Passo a passo do plano de negócio
A primeira parte do plano de negócio deve conter informações como dados dos empreendedores, da empresa, atividades, capital, fonte de recursos e forma jurídica. “Normalmente conta-se um pouco da história da empresa, até para gerar conhecimento de como nasceu aquela ideia e fala-se da equipe de gestão - aqueles que vão estar à frente do negócio”, exemplifica Giovane Nogueira.
 
Em seguida, deve ser feita uma análise de mercado, que contempla estudos sobre clientes, concorrentes e fornecedores. “Nesse ponto, temos a análise setorial — especificamente do mercado em que aquele negócio está sendo trabalhado — e o mercado-alvo, através de clientes, consumidores, distribuidores, fornecedores e todos os demais envolvidos. É importante ter uma avaliação do market share — participação de mercado — e da projeção de vendas, para saber o tamanho do mercado e quanto você pode absorver dele”, afirma. O especialista indica, ainda, a adoção de pesquisa de mercado.
 
O próximo ponto são as estratégias de marketing, tópico no qual é apresentada a descrição dos principais produtos e serviços que serão oferecidos, além da definição do composto de marketing, conhecido como os quatro P’s: preço, ponto de venda, promoção e praça. “Temos a definição da estratégia de vendas, se é uma venda presencial, pelo e-commerce, pelo telemarketing, pelo e-mail. Tem também a parte de tecnologia dependendo do porte da empresa, que é o relacionamento com o cliente (CRM - Customer Relationship Management, em inglês) e a parte da troca eletrônica de informações (EDI - Electronic Data Interchange, em inglês)”, explica Nogueira.
 
O item sobre plano operacional deve conter informações como o arranjo físico do negócio, processos operacionais, capacidade produtiva e necessidade de pessoal. Já no ponto sobre plano financeiro, devem ser descritas informações como investimento total, estimativas de investimentos fixos, de faturamento mensal e de custos, capital de giro e indicadores de viabilidade. “Nesse tópico você faz a definição da política comercial, custo com pessoal, custos administrativos e as necessidades de aporte financeiro, aporte pré-operacional, custeio para insumo e pessoal”, afirma o especialista.
 
Em seguida, é necessário fazer a construção de cenários, a avaliação estratégia a partir da matriz SWOT ou F.O.F.A, em português, que analisa pontos como forças, oportunidades, fraquezas e ameaças e, por fim, a avaliação do plano de negócio. 
 
Vale lembrar que, mesmo após o empreendimento ser criado de fato, o plano não deve ser deixado de lado, devendo sempre ser acompanhado para melhorias no negócio e eventuais ajustes e expansões.
 
Plano de negócios X modelo de negócios
Por mais que o plano e o modelo de negócios sejam duas ferramentas distintas com finalidades diferentes, a semelhança de seus nomes ainda gera dúvidas. É normal encontrar pessoas que confundem suas funções ou mesmo pensem que se trata da mesma coisa. “O plano de negócio é um documento que formaliza um planejamento. Você planeja o que você vai, efetivamente, fazer. Ele não garante, obviamente, que você não corra riscos, mas os diminui substancialmente. Já o modelo de negócio é uma forma simplificada de apresentar a sua ideia para o mercado, principalmente para o investidor”, explica Giovani Nogueira.
 
 
*Giovani Nogueira é consultor do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Ceará (Sebrae/CE)

TAGS