PUBLICIDADE
Notícias

PF deve investigar áudio falso sobre atuação da PM nas eleições

14:25 | 30/10/2016

Um áudio falso que circula nas redes sociais neste domingo, 30, afirmando que o Ministério Público havia liberado a atuação da Polícia Militar a menos de 100 metros das zonas eleitorais será investigado pela Polícia Federal.

De acordo com o promotor de justiça eleitoral, Marcus Renan Palácio, já houve requisição de abertura do inquérito policial para apurar quem gravou e compartilhou o áudio.

“Saiu agora na frequência onde o Ministério Público baixou, dizendo que pode sim agora, com uma ocorrência de menos cem metros, cria-se a ocorrência via Ciops e vai para o enfrentamento. Vai dar certo, irmão”, diz a falsa gravação.

2.500 oficiais do exército foram destacados para atuar neste 2º turno das eleições em Fortaleza e a atuação da Polícia Militar foi modificada, após denúncia de juízes eleitorais sobre suposta interferência da Polícia Militar no 1º turno. Os policiais militares continuam a fazer a ronda e policiamento normalmente, mas só atenderão a ocorrências criminais.

Os oficiais do exército, por sua vez, estão presentes em todas as zonas, cobrindo os crimes eleitorais, como boca de urna. Conforme O POVO Online apurou, algumas viaturas da PM estiveram paradas, visto que só poderiam circular após serem acionadas. Caso seja registrado uma ocorrência criminal, o oficial do exército aciona a Polícia Militar, via Ciops, o coronel e promotor que julgam como ele deve proceder.

Uma fonte, que não quis se identificar, informou ao O POVO que não houve nenhuma determinação sobre nova forma de atuação da PM.

O secretário adjunto da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social, coronel Lauro Prado, corrobora que o áudio é falso. "A Polícia Militar age em toda parte de crime eleitoral e comum, a qualquer hora, mas fora da área (de 100 metros) da seção eleitoral".

TAGS