PUBLICIDADE
Notícias

BNDES Giro pretende ampliar em R$ 20 bi o crédito concedido para PMEs

14:00 | 23/08/2017
O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, afirmou nesta quarta-feira, 23, durante cerimônia no Palácio do Planalto, que o banco de fomento quer ampliar a carteira de crédito para as micro, pequenas e medias empresas (PMEs). O esforço para aumento do crédito a PMEs havia sido antecipado pelo banco de fomento ao Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado) em julho.

Rabello rechaçou que o banco ofereça a maior parte do crédito para grandes empresas e disse que hoje 40% do que é concedido é para as PMEs. "Queremos anunciar em 12 meses que estaremos próximos de 60% da carteira total às PMEs", disse.

Rabello disse ainda que a instituição quer dobrar o crédito para as micro e pequenas, que hoje é de R$ 13 bilhões por semestre.

Na cerimônia, que marca o lançamento do BNDES Giro, Rabello anunciou ainda a intenção de ampliar em cerca de R$ 20 bilhões em novos financiamentos para PMEs até agosto de 2018.

Rabello disse ainda que segue uma recomendação do presidente Michel Temer ao dedicar políticas para as micro e pequenas empresas e que para tal é preciso contar com o "suporte incondicional" do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. "Temos que ter o suporte de todo o sistema financeiro nacional", completou.

O presidente do BNDES destacou que o governo veio de um intenso processo recessivo da economia, mas que já há "sinais evidentes de uma retomada". Apesar disso, Rabello ponderou que a carteira de pessoas jurídicas do banco ainda se encontra em território negativo.

Segundo ele, no entanto, no 2º trimestre, na ponta, as condições financeiras paras as micro e pequenas empresas melhoraram ante o 4º trimestre de 2016. "Mas ainda não estamos tranquilos, algumas linhas PJ têm queda de 7%", afirmou.

Spread

Durante a fala, Rabello disse que o conselho de administração do BNDES aprovou a redução dos spreads bancários em 30%, para pelo menos 1,5 ponto porcentual, na linha apresentada aos empresários nesta quarta pela manhã.

'Chuva depois de muita seca'

O presidente do BNDES disse que a nova linha de crédito terá R$ 20 bilhões iniciais para as pequenas empresas com custo que tem como referência inicial a Taxa Juro de Longo Prazo (TJLP). "São R$ 20 bilhões canalizados para a retomada. Parece pouco, mas é chuva depois de muita seca", disse. Segundo Rabello, se a linha for esgotada, o valor poderá ser ampliado futuramente pelo banco.

TAGS