PUBLICIDADE
Notícias

Consumo de gás natural cresce 5,62% em novembro, diz Abegás

12:54 | 23/01/2017
O consumo de gás natural somou 68,72 milhões de metros cúbicos por dia no mês de novembro em todo o País, o que corresponde a um crescimento de 5,62% frente aos números do mês de outubro, quando foram consumidos 65,07 milhões de metros cúbicos por dia.

Na comparação com os dados de novembro de 2015, houve queda de 7,94%. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 23, pela Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), que reúne informações de concessionárias de distribuição em 20 Estados.

No segmento industrial, a entidade registrou um aumento de 2,25% no consumo de gás natural em novembro na comparação com outubro. No entanto, em relação a novembro de 2015, o consumo de gás nas indústrias diminuiu 4,54%.

"O consumo industrial dá sinais de recuperação em novembro, com destaque para a Região Sudeste, que registrou variação positiva de 5,8%", diz, em nota, o presidente executivo da Abegás, Augusto Salomon. "Esperamos uma recuperação gradual da demanda por gás natural, principalmente na indústria, que sofreu impacto direto da desaceleração econômica do País nos últimos anos."

Por outro lado, o consumo de gás natural pelas residências recuou 20,05% em novembro ante outubro. Segundo a Abegás, o resultado se deve ao efeito sazonal da elevação das temperaturas, principalmente na região Sudeste, que reduz o consumo em aplicações com aquecimento de água, como chuveiro. Na comparação com o mesmo mês de 2015, contudo, o consumo residencial aumentou 6,31%, reflexo dos investimentos das distribuidoras em expansão.

A entidade também informa que o consumo de gás natural em geração elétrica subiu 18,34% em novembro ante outubro, mas recuou 24,09% na comparação anual. Já o consumo de Gás Natural Veicular (GNV) no setor automotivo permaneceu praticamente estável em novembro em relação a outubro, aumentando 0,79% - ante o mesmo mês de 2015, houve crescimento de 4,55%.

"Nossa expectativa é que a adoção da agenda proposta pelo ministro Fernando Coelho Filho e sua equipe por meio do Programa Gás Para Crescer seja positiva e estimule o mercado de gás natural", avalia Salomon.

TAGS