Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Ação da Eletrobras ficou com preço unitário de R$ 42; conheça a empresa

A privatização da Eletrobras pode afetar o preço da conta de luz e deixar o serviço ainda mais caro, com aumento entre 15% a 25%, segundo estudo do Dieese

A Eletrobras divulgou nesta sexta-feira, 20 de junho, fato relevante com o valor de cada ação definido em R$ 42.

De acordo com o comunicado da empresa, o montante total a ser levantado será de R$ 29.294.027.952.

O preço da American Depositary Share (ADS, ação depositária americana, que é uma participação acionária em dólares de uma empresa estrangeira em bolsa de valores dos Estados Unidos) ficou em US$ 8,63.

O comunicado da empresa acrescenta que não será realizado "qualquer registro da oferta pública global ou das ações em qualquer agência ou órgão regulador, exceto no Brasil, junto à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), e nos Estados Unidos da América, junto à SEC (Securities end Exchange Commission, agência que regula o mercado norte-americano)".

Segundo a Eletrobras, mais informações sobre a oferta brasileira podem ser obtidas no Prospecto Definitivo e Anúncio de Início divulgados na página da Eletrobras. (Com Agência Brasil)

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Privatização da Eletrobras pode aumentar conta de luz 

A privatização da Eletrobras, maior empresa do setor elétrico da América Latina, pode afetar o preço da conta de luz e deixar o serviço ainda mais caro, com aumento entre 15% a 25%, segundo estudo feito pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Segundo o levantamento, a energia gerada por vinte hidrelétricas da Eletrobras tem o valor regulado e, para atender principalmente o consumidor residencial, entra no sistema elétrico brasileiro a preço de custo.

Com a privatização, a energia dessas usinas será comercializada a preços maiores.

Além disso, alguns dos “jabutis” (partes inseridas pouco relacionadas à proposta original) incluídos na privatização, como a contratação de termelétricas, prorrogação de subsídios a empreendimentos já amortizados, podem gerar impacto no valor da tarifa.

Dieese diz que privatização coloca soberania do País no setor elétrico em xeque

A pesquisa também apresenta os resultados que a privatização da Eletrobras trará para o cenário nacional, principalmente em relação à soberania energética do país.

Atualmente, dos 10 maiores geradores de energia de fonte hidrelétrica no mundo, oito países mantêm controle estatal.

Com a privatização, a participação do governo na empresa será reduzida para cerca de 45%.

Para o Dieese, “as questões de soberania e segurança energética, os desafios relacionados à transição energética e as demandas por maior democratização do acesso à energia elétrica ensejam o controle estatal no setor”.

Com a privatização, há grande risco de perda de controle sobre a política nuclear brasileira.

Confira o estudo na íntegra 

Quais são as empresas que compõem a Eletrobas?

A empresa controla grande parte dos sistemas de geração e transmissão de energia elétrica do Brasil por intermédio das nossas subsidiárias Eletrobras CGT Eletrosul, Eletrobras Chesf, Eletrobras Eletronorte, Eletrobras Eletronuclear e Eletrobras Furnas. Além de principal acionista dessas empresas, somos donos, em nome do governo brasileiro, de metade do capital de Itaipu Binacional.

Também detém o Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Eletrobras Cepel) e a Eletrobras Participações S.A. (Eletrobras Eletropar).

Veja lista de empresas da Eletrobras

  • Eletrobras CGT Eletrosul
  • Eletrobras Chesf
  • Eletrobras Eletronorte
  • Eletrobras Eletronuclear
  • Eletrobras Furnas
  • Itaipu Binacional
  • Eletrobras Cepel
  • Eletrobras Eletropar

Em quem ano foi criada a Eletrobras?

A criação da Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras) foi proposta em 1954 pelo presidente Getúlio Vargas.

O projeto enfrentou grande oposição e só foi aprovado após sete anos de tramitação no Congresso Nacional.

Em 25 de abril de 1961, o presidente Jânio Quadros assinou a Lei 3.890-A, autorizando a União a constituir a Eletrobras.

A instalação da empresa ocorreu oficialmente no dia 11 de junho de 1962, em sessão solene do Conselho Nacional de Águas e Energia Elétrica (CNAEE), no Palácio Laranjeiras, no Rio de Janeiro, com a presença do presidente João Goulart.

Qual é o papel da Eletrobras?

A Eletrobras recebeu a atribuição de promover estudos, projetos de construção e operação de usinas geradoras, linhas de transmissão e subestações destinadas ao suprimento de energia elétrica do País.

A nova empresa passou a contribuir decisivamente para a expansão da oferta de energia elétrica e o desenvolvimento do país.

As reformas institucionais e as privatizações na década de 1990 acarretaram a perda de algumas funções da estatal e mudanças no perfil da Eletrobras.

Nesse período, a companhia passou a atuar também, por determinação legal e transitoriamente, na distribuição de energia elétrica, por meio de empresas nos estados de Alagoas, Piauí, Rondônia, Acre, Roraima e Amazonas.

A Eletrobras encerrou suas atividades no setor de distribuição em 2018. Em 2022,a empresa completa 60 anos.

O processo fez parte de uma ampla reestruturação societária com a redução do número de Sociedades de Propósito Específico (SPEs) até 2021, além da criação da Eletrobras CGT Eletrosul, a partir da fusão das operações das subsidiárias Eletrobras Eletrosul e Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (Eletrobras CGTEE) e da incorporação da Eletrobras Amazonas GT pela Eletrobras Eletronorte.

Privatização dos Correios; veja vídeo

Mais notícias de Economia

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar