Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Indústria do Ceará recua 1,5% em abril e apresenta 2º pior resultado do Brasil

No acumulado entre janeiro e abril deste ano, Ceará apresenta recuo de 9% na produção industrial realizada no Estado

O ano de 2022 tem sido desafiador para produção da indústria cearense. Dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM Regional) referente a abril apontam retração da produção industrial de 1,5% no mês e de 9% no acumulado dos quatro primeiros meses do ano.

Desempenho do Ceará está acima apenas do Pará, que registra queda de 10,2% no acumulado do ano, apesar do crescimento de 1,5% na passagem março para abril.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 9 de junho, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e apontam o desempenho da indústria do Ceará como o segundo pior do Brasil em 2022.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O Ceará teve crescimentos expressivos entre janeiro e agosto de 2021, porém, entre setembro e dezembro do referido ano apresentou queda de 13,4%, mantendo a sequência aos resultados negativos em 2022.

No acumulado dos últimos doze meses, Estado registra queda de 3,7%. Neste comparativo, a média nacional é de um recuo de 0,3%.

Em um ano, ao comparar o desempenho registrado em abril de 2021 e de 2022, o Ceará apresenta aumento de 4,7% no índice, porém, tal comparativo é influenciado pelo fato de que no referido período do ano passado o Estado estava em lockdown para combater a Covid-19.

Desempenho da indústria do Ceará entre janeiro e abril de 2022

  • Produção de alimentos: queda de 0,76%
  • Bebidas: alta de 0,01%
  • Produção têxteis: queda de 0,05%
  • Confecção de artigos de vestuário e acessórios: queda de 4,15%
  • Couro, artigos para viagem e calçados: queda de 2,46%
  • Coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis: queda de 0,06%
  • Outros produtos químicos: queda de 0,47%
  • Indústria de minerais não metálicos: alta de 0,05%
  • Metalurgia: alta de 0,45%
  • Produtos de metal voltado para máquinas e equipamentos: queda de 0,13%
  • Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos: queda de 1,42%.

Série de resultados da indústria do Ceará
Foto: Reprodução/IBGE
Série de resultados da indústria do Ceará

Produção industrial no Brasil

A média nacional para o mês de abril foi de crescimento de 0,01% em um cenário de resultados distintos. O baixo desempenho da indústria de São Paulo, que representa 34% do polo industrial do País, teve forte influência no desempenho nacional. 

“Esse crescimento tímido em abril se deve a fatores como a inflação elevada, a baixa massa de rendimento, que reduz o consumo das famílias, o encarecimento das matérias-primas e o desabastecimento de insumos. Tudo isso recai diretamente sobre a cadeia produtiva, diminuindo o ritmo da produção industrial”, explica o analista da pesquisa, Bernardo Almeida.

As maiores altas registradas foram as do Rio de Janeiro, com aumento de 5,9% na produção industrial em abril, seguido por Santa Catarina, com alta de 3,315, Bahia com 3% e Pernambuco (2%).

Na outra ponta do ranking, sete estados entre os 15 monitorados pelo IBGE, computaram retração no índice. As mais leves foram de Goiás com queda de 0,5%, seguido por Minas Gerais e Espirito Santo, ambos com queda de 0,6%.

Em sequência, aparecem o Ceará, seguido por São Paulo, com retração de 2,8% e em cenário mais crítico, Paraná e Mato Grosso com quedas de 4,3% e 4,7%, respectivamente.

Mais notícias de Economia

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar