Participamos do

UE propõe suspender tarifas de importação em produtos da Ucrânia por um ano

12:12 | Abr. 27, 2022
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Comissão Europeia propôs nesta quarta-feira, 27, suspender as tarifas de importações em todos os produtos da Ucrânia para a União Europeia durante um ano. A medida, descrita pela UE, como "um gesto sem precedentes de apoio a um país em guerra", deve aliviar a situação de produtores ucranianos diante da invasão militar da Rússia.

Se aprovada, a suspensão também se aplicará para as medidas de "salvaguarda" da UE em vigor sobre as exportações de aço da Ucrânia pelo mesmo período.

Para entrar em vigor, a proposta deve passar ainda pela consideração e aprovação do Parlamento Europeu e do Conselho da União Europeia.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Em nota, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, destaca que a agressão russa está afetando "gravemente" a economia ucraniana. Em conversa com o presidente Volodymyr Zelensky, a líder europeia disse ter concordado na importância de uma "rápida e ampla" suspensão de tais tarifas para impulsionar a economia do país invadido. "O passo que estamos dando hoje responde a este chamado", afirmou.

Vice-presidente da Comissão e comissário para o comércio a UE, Valdis Dombrovskis destacou que o bloco composto por 27 países nunca adotou uma liberação de medidas comerciais como essa, no que chamou de "sem precedentes" na escala proposta, ao conceder à Ucrânia tarifa zero e acesso de quota zero ao mercado da UE. "Desde o início da agressão da Rússia, a UE priorizou a importância de manter a economia da Ucrânia funcionando, o que é crucial tanto para ajudá-la a vencer esta guerra quanto para se reerguer no pós-guerra".

No ano passado, as negociações bilaterais entre Ucrânia e UE alcançaram seu nível mais alto, com mais de 52 bilhões de euros movimentados o dobro do registrado em 2016. Ambas as partes continham uma agenda "ambiciosa" de implementação da uma área de livre comércio profunda e abrangente (DCFTA, na sigla em inglês), afirma a UE.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar