Participamos do

Fitch reafirma rating BB- da África do Sul, e muda perspectiva para estável

20:38 | Dez. 15, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Fitch reafirmou nesta quarta-feira, 15, o rating BB- da África do Sul, e alterou a perspectiva de negativa para estável. Em comunicado, a mudança "reflete a recuperação econômica mais rápida do que o esperado, o desempenho fiscal surpreendentemente forte neste ano e melhorias significativas nas principais métricas de crédito baseadas no PIB", diz a agência.

A recuperação está em andamento e o PIB agora parece em vias de retornar aos níveis pré-pandêmicos durante 2022, apesar de uma contração trimestral de 1,5% no terceiro trimestre de 2021, parcialmente desencadeada por violentos distúrbios em julho, aponta a Fitch. A agência espera que o PIB da África do Sul suba 4,7% em 2021, impulsionado pelos efeitos de base após a contração de 6,4% em 2020.

O crescimento desacelerará para 2% em 2022, seguido por um fortalecimento moderado para 2,4% em 2023, uma vez que o hiato do produto negativo permanece grande, aponta a Fitch.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Os indicadores fiscais melhoraram, sustentados pela recuperação econômica, e agora a agência espera um déficit fiscal consolidado no ano fiscal encerrado em março de 2022 de 7,7% do PIB, abaixo dos 10,0% do ano fiscal encerrado em 2021, "ambos substancialmente melhores do que o esperado anteriormente". A forte redução do déficit neste ano se deve a um aumento de 4,1% do PIB na receita de acordo com as projeções da Fitch, bem acima das expectativas anteriores, impulsionado em parte pelo aumento nos preços das commodities neste ano.

Parte da receita mais alta foi usada para um pacote de apoio fiscal de 0,6% do PIB anunciado em julho, que teve como intuito acomodar o impacto econômico dos distúrbios daquela época e os efeitos contínuos da pandemia, aponta a agência.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags