Participamos do

Paralisação dos caminhoneiros: PRF articula corredores logísticos em 5 estados para evitar desabastecimento

No segundo dia de protestos, caminhoneiros voltam a bloquear vias em apoio ao discurso antidemocrático do presidente da república, Jair Bolsonaro (sem partido)
10:30 | Set. 09, 2021
Autor Alan Magno
Foto do autor
Alan Magno Estagiário de jornalismo
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Em apoio a falas antidemocráticas do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), caminhoneiros entram no segundo dia de protestos com ações de paralisação parciais de rodovias em 15 estados brasileiros. Diante do impacto na circulação de produtos no País, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) articula corredores logísticos para escoamento de mercadoria com intuito de evitar desabastecimento

As negociações com os caminhoneiros que pedem a destituição de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ocorrem deste a madrugada da quarta-feira, 8 de setembro. Conforme boletim informativo do Ministério da Infraestrutura, seis corredores para liberação de produtos e mercadorias de primeira necessidade foram abertos em cinco estados, dos 15 que registram protestos. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Os pontos de escoamento de cargas foram abertos no início da manhã desta quinta-feira, 9 de setembro, e seguiram em funcionamento por tempo indeterminado, enquanto durarem os protestos.

Veja onde estão localizados os corredores logístico para escoamento de mercadoria

  • BR-040/Minas Gerais
  • BR-116/Rio de Janeiro (Dutra/Barra Mansa)
  • BR-040/Rio de Janeiro (Reduc)
  • BR-101/Espírito Santo
  • BR-376/Paraná
  • BR-153/Goiás (Anápolis)

Mesmo com a liberação dos corredores, caminhoneiros que integram os atos seguem concentrados nos seguintes estados: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia, Maranhão, Roraima, Pernambuco e Pará.

Apesar de presença dos caminhoneiros, a PRF pontua que não estão sendo realizados novos bloqueios, parciais ou totais, em vias federais. "Não há mais pontos de interdição de pistas na malha rodoviária federal, salvo protesto pela causa indígena na BR-174/Roraima", detalha a entidade em nota. 

Até as 7 horas de hoje foram debeladas 177 ocorrências de aglomerações de caminhoneiros que tentavam bloquear parcialmente ou totalmente rodovias federais. A partir das 8 horas, ainda nesta manhã, a PRF pontua que houve registro de redução de 10% no fluxo de caminhoneiros nos pontos de concentração dos protestos. 


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags