Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Balança comercial tem superávit de US$ 7,395 bilhões em julho

Autor - Agência Estado
Foto do autor
- Agência Estado Autor
Tipo Notícia

A balança comercial brasileira registrou superávit US$ 7,395 bilhões em julho, com crescimento nas exportações e importações sobre julho de 2020. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 2, pela Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério da Economia.
O superávit em julho é o segundo maior para o mês a série histórica, que tem início em 1989, atrás apenas do registrado no período em 2020, de US$ 7,601 bilhões.
No mês passado, a corrente de comércio (soma das exportações e importações) avançou 46,2%. As exportações somaram US$ 25,529 bilhões, uma alta de 37,5 % ante julho de 2020. Já as importações chegaram a US$ 18,133 bilhões, um avanço de 60,5% na mesma comparação.
Na quinta semana de julho (26 a 31), o saldo comercial foi de superávit de US$ 524
milhões.
De janeiro a julho, a balança comercial acumula superávit de US$ 44,127 bilhões. O valor é 47,6% maior do que o mesmo período do ano passado. Houve um aumento de 35,3 % nas exportações e de 30,9% nas importações do período.
Em julho, o setor agropecuário teve alta de 11,2% nas exportações em julho. Houve aumento ainda nas vendas de produtos dos outros setores: 62,7% em indústria extrativa e 37,7%% em bens da indústria de transformação.
Já nas importações, houve aumento de 48,2% na agropecuária, de 163,2% em
indústria extrativa e de 57% em produtos da indústria de transformação.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Pico do IPC-S em 12 meses deve ser renovado em agosto, diz Picchetti, da FGV

ECONOMIA
2021-08-02 11:47:46
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) deve desacelerar de 0,92% para 0,70% em agosto, mas renovar o pico no acumulado em 12 meses, de 8,76% para 8,93%, estima o coordenador do indicador da Fundação Getulio Vargas (FGV), Paulo Picchetti. Como reflexo de problemas climáticos, Picchetti elevou a projeção para o resultado anual de 5,90% para 6,40%.
"Entre junho e julho, tivemos novidades relevantes para a dinâmica da inflação. E as duas principais são climáticas", explica o coordenador. "De um lado tem a seca, que está se delineando como preocupante, por todas as declarações do pessoal de energia. E do outro lado geadas, com perspectiva de comprometer a oferta de alguns alimentos."
Além dos obstáculos relacionados ao clima, Picchetti afirma que os dados de núcleo e difusão caracterizam uma inflação que não está mais restrita a poucos itens. Apesar de ficar estável entre junho e julho (0,43% para 0,42%), o núcleo avançou de 3,50% para 3,67% no acumulado em 12 meses. A difusão, por sua vez, acelerou na margem, de 63,55% para 64,52%.
O arrefecimento no IPC-S de agosto deve ser puxado pelos alívios em passagem aérea e tarifa de eletricidade residencial, que registraram altas significativas em julho (13,11% e 7,80%, respectivamente). No sentido oposto, a gasolina deve pressionar o índice neste mês. Após avançar de 1,47% para 1,85% no fechamento de julho, o combustível já acelera a 2,30% na ponta comparação entre a quarta semana de julho e o mesmo período do mês anterior. "O aumento da Petrobras está chegando ao consumidor final", diz Picchetti.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Reino Unido: PMI industrial cai a 60,4 em julho (final), como previsto

ECONOMIA
2021-08-02 08:02:45
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do Reino Unido recuou de 63,9 em junho a 60,4 na leitura final de julho, informou nesta segunda-feira, 2, a IHS Markit. O resultado veio em linha com a previsão dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. A consultoria afirma em relatório que dificuldades para obter matérias-primas e aumentar o quadro de pessoal estão contendo o crescimento do setor no país, além de elevar os custos da indústria britânica.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

PMI industrial da zona do euro cai a 62,8 em julho (final)

ECONOMIA
2021-08-02 07:47:45
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria da zona do euro recuou de 63,4 em junho a 62,8 na leitura final de julho, informou nesta segunda-feira (2) a IHS Markit. Analistas ouvidos pelo Wall Street Journal previam 62,6, após a leitura preliminar do dado ter sido justamente de 62,6.
A consultoria diz em relatório que, com a exceção da Alemanha, houve recuo em geral no PMI da indústria da região em julho. Segundo a IHS Markit, o quadro mostra que o setor industrial e seus fornecedores enfrentam dificuldades para atender à demanda, o que tem elevado os preços. (Com informações da Dow Jones Newswires).
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Alemanha: PMI industrial (final) sobe a 65,9 em julho

ECONOMIA
2021-08-02 07:38:58
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria da Alemanha avançou de 65,1 em junho a 65,9 em julho, na leitura final do dado, informou nesta segunda-feira a IHS Markit. Analistas ouvidos pelo Wall Street Journal previam 65,6. A consultoria afirma em relatório que o crescimento dos componentes de novas encomendas e emprego ampararam os ganhos, no segundo mês consecutivo de alta do índice no país. (Com informações da Dow Jones Newswires).
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

China: PMI industrial medido pela Caixin recua para o menor patamar em 16 meses

ECONOMIA
2021-08-02 07:27:40
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Uma medida privada da atividade industrial da China em julho caiu para a mínima do pós-covid no momento em que fortes inundações, um ressurgimento das infecções pelo coronavírus e blecautes de energia em algumas cidades pesaram sobre a produção e sobre novos pedidos.
O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial medido pela Caixin Media caiu de 51,3 pontos em junho para 50,3 pontos em julho, de acordo com dados divulgados pela empresa em parceria com a Markit. A leitura de julho foi a menor dos últimos 16 meses, mas ainda ficou acima da marca de 50, que separa a expansão da contração.
O resultado aponta na mesma direção que o dado oficial do governo, que monitora grandes fábricas estatais de forma mais próxima. A leitura para julho foi de 50,4 versus 50,9 em junho, de acordo com dados divulgados pelo Escritório Nacional de Estatísticas chinês. A pesquisa oficial tem uma amostra muito maior que a da Caixin.
O subíndice da Caixin para novos pedidos de exportação subiu apenas levemente, com a pandemia ainda atrapalhando as vendas em outros países, informou a Caixin. A taxa de crescimento da produção também desacelerou pelo terceiro mês seguido, aumentando apenas de forma marginal, e no menor ritmo em 16 meses.
O indicador que mede o patamar de emprego manteve-se estável e ficou pouco acima da marca de 50 em julho, marcando o quarto mês seguido de expansão, afirmou Wang Zhe, um economista sênior do Caixin Insight Group.
Wang disse que os preços de matérias-primas se mantiveram altos, mas que a pressão inflacionária se reduziu levemente. "A recuperação da economia ainda não é sólida", disse ele. "A economia ainda enfrenta forte pressão de baixa." Fonte: Dow Jones Newswires.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags