PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Especialistas e empresários pedem volta do horário de verão

Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, fez parte da reivindicação de volta da medida e declarou os motivos

Beatriz Cavalcante
11:25 | 26/07/2021
Luciano Hang havia anunciado que patrocinaria aviões que levassem
Luciano Hang havia anunciado que patrocinaria aviões que levassem "mensagens patriotas" pelo litoral de Santa Catarina (Foto: Reprodução / Instagram / @luciano.hang)

Sem ser utilizado desde o fim de 2019, por ser considerado pelo governo Jair Bolsonaro (sem partido) desnecessário com a mudança de hábitos de consumo de energia, o horário de verão é avaliado por especialistas e empresários como uma forma eficaz de amenizar os problemas no cenário elétrico no País.

Entenda a crise hídrica

Atualmente, o cenário do Brasil é do mais baixo nível dos reservatórios hidrelétricos em décadas e aumento da taxa de bandeiras tarifárias ao consumidor final.

Empresários de setores como turismo, donos de restaurantes e bares reivindicam a volta da medida e enviaram, inclusive, carta ao presidente. Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, fez parte da reivindicação e declarou os motivos.

"O fato de ganharmos uma hora durante o dia faz com que a roda da fortuna gire mais e influencia positivamente toda economia, principalmente o turismo, os comércios, restaurantes e automaticamente gera mais empregos também nas indústrias".

"A prova da necessidade desta mudança estava no perfil de carga elétrica do sistema. O horário de pico para o consumo de energia, que anteriormente acontecia no fim da tarde e início da noite, passou a ser no meio da tarde, por volta de 15 horas", avalia o doutor em economia e professor de Engenharia de Produção da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), Agostinho Pascalicchio.

Já o professor Antonio Giansante, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UPM, especialista em recursos hídricos, frisa que este seria um bom momento para a volta do horário de verão.

"Os levantamentos sobre os efeitos de energia elétrica causado pelo horário de verão indicam que há uma economia no consumo de 5%, logo, expressivo para um país que vem sofrendo crises hídricas cada vez mais frequentes". Ele explica ainda que o argumento dos empresários é válido. "Há uma influência positiva na economia e também uma vida mais salutar: as pessoas podem caminhar e se exercitar no final do dia e ainda com a luz do sol".

Para ele, Pascalicchio também acredita que a reivindicação dos empresários deveria ser adotada. "Haveria um movimento maior nos comércios. Nesta época de pandemia, considerando o ritmo da vacinação e o nível de desemprego do setor, é um procedimento bem-vindo para este segmento e merece apoio".

Giansante acrescenta ainda que a decisão do governo em acabar com o horário de verão influenciou na crise. "Num exercício rápido, pode-se imaginar que os reservatórios estariam com 5% a mais de água, o que é expressivo em época de crise hídrica".

Em relação ao aumento das tarifas, Pascalicchio explica que foi devido à falta de planejamento do setor. "A pouca energia disponível causa alta nas tarifas de energia elétrica e perspectivas de racionamento. A alta na tarifa é consequência da indisponibilidade de energia, estão elevadas e sujeitas a novas altas no futuro próximo".